Candidatos denunciam “caos” e “calamidade” na estreia do horário eleitoral no DF

A estreia do horário eleitoral gratuito no Distrito Federal foi marcada pela fragmentação do tempo entre os 11 candidatos e por críticas à atual gestão. Alguns não conseguiram sequer falar devido aos poucos segundos de que dispunham. A oposição atacou o que chamou de “caos”, “calamidade pública” e “incompetência” do atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB). Neste primeiro dia, todos buscaram se apresentar ao eleitorado, falando de sua trajetória pessoal e política.

Candidato à reeleição, Rollemberg optou pelo modelo de entrevista, na qual uma jornalista lia perguntas atribuídas a eleitores. O governador se antecipou e se defendeu de uma das críticas ao seu governo, a de que se afastou da população. Disse que passou os últimos quatro anos pondo as contas da administração em dia e que, com novo mandato, estará mais próximo das ruas. “Eu não sumi. Estava trabalhando duro para arrumar a casa. Agora, com a casa arrumada, vocês vão me ver mais”, disse.

Primeira colocada nas pesquisas, em empate técnico com Rollemberg e Rogério Rosso (PSD), Eliana Pedrosa (Pros) disse que Brasília terá dois governadores – ela e seu vice, o ex-deputado Alírio Neto – que administrarão o Distrito Federal com o “coração” e insinuou que falta competência ao atual gestor para driblar a crise nas finanças do DF. “Não é esperar o dinheiro cair do céu”, afirmou.

Governador-tampão em 2010, após a cassação de José Roberto Arruda, o deputado Rogério Rosso foi o mais incisivo na crítica a Rollemberg. “Não podemos mais admitir tamanho descaso deste governo. Estamos em calamidade pública com a falta de competência e de comprometimento do governador”, criticou.

Dono do maior tempo entre todos os candidatos, com 1 minuto e 50 segundos, o também deputado Alberto Fraga (DEM) usou parte do tempo para se apresentar. Natural de Sergipe, apresentou um jingle em ritmo de forró rememorando suas raízes nordestinas, também presentes em grande parte da população do Distrito Federal. Um dos líderes da bancada da bala na Câmara, Fraga prometeu “um governo de coragem e respeito” e deixou de lado o tom mais duro que costuma adotar em seus discursos no Congresso.

"Outsider"

Estreante nas urnas, o ex-presidente da seccional do DF da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Ibaneis Rocha (MDB) tentou se mostrar como um “outsider”. Disse estar indignado com o que os “políticos” têm feito com Brasília. “Não acredito mais em nenhum de vocês, políticos”, afirmou. “Chega de tanta demagogia”, acrescentou o emedebista.

Também novato em eleições, o petista Júlio Miragaya foi entrevistado pelo ator Murilo Grossi. Miragaya disse que o Distrito Federal vive uma crise profunda, com desemprego crescente e caos na segurança, na saúde e na educação pública. “O PT tem propostas para sair dessa crise”, prometeu. “Lula livre, Lula presidente”, encerrou o quadro Grossi.

Os demais candidatos tiveram poucos segundos para se apresentar. Restringiram-se a falar seus nomes e números de campanha.

Distribuição do tempo

Os critérios para os cálculos de duração das propagandas levam em conta a representatividade dos partidos de cada coligação no Congresso. O bancário Renan Rosa (PCO) não apareceu no horário eleitoral por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-DF), que identificou irregularidades no registro de sua candidatura.

A propaganda eleitoral no rádio será exibida, até 4 de outubro, sempre às 7h e às 12h30. Na TV o programa será exibido às 13h e às 20h30. Hoje são apresentadas as peças produzidas pelos candidatos a governador, senador e deputado distrital ou estadual. Amanhã será a vez dos presidenciáveis e dos postulantes a uma cadeira na Câmara. Ao longo da programação comercial das emissoras, também haverá inserções com duração definida pela Justiça eleitoral.

Veja o tempo que cada candidato a governador tem no Distrito Federal para apresentar suas ideias no horário eleitoral gratuito:

Alberto Fraga (DEM) – 1 minuto e 50 segundos
Ibaneis Rocha (MDB) – 1 minuto e 44 segundos
Rogério Rosso (PSD) – 1 minuto e 38 segundos
Rodrigo Rollemberg (PSB) – 1 minuto e 14 segundos
Júlio Miragaya (PT) – 1 minuto e 10 segundos
Eliana Pedrosa (Pros) – 49 segundos
Fátima Sousa (Psol) – 9 segundos
Paulo Chagas (PRP) – 8 segundos
Alexandre Guerra (Novo) – 4 segundos
Guillen (PSTU) – 4 segundos
Renan Rosa (PCO) – 4 segundos (está com o tempo suspenso pelo TRE-DF)

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!