NOVO indica deputados como pré-candidatos aos governos do RJ e SP

Os deputados federais  Vinícius Poit (NOVO-SP) e Paulo Ganime (NOVO-RJ), foram indicados como possíveis pré-candidatos do partido aos governos de São Paulo e do Rio de Janeiro, respectivamente, nas eleições de 2022.

A escolha dos nomes foi anunciada nesta sexta-feira (4) e contou com aprovação da maioria dos 52 nomes eleitos pela legenda no país. Eles tinham sido validados  durante uma reunião que ocorreu na segunda-feira (31), quando mandatários pelo NOVO assinaram uma carta de endosso. 

"A participação de ambos significará um grande impulso para nossos candidatos a deputado federal e estadual nos seus Estados, que terão no exemplar trabalho na Câmara do Ganime e do Poit um norte para se inspirar e um cartão de visita inestimável a apresentar para seus eleitores", diz a carta, republicada pelo deputado Marcel Van Hattem (NOVO-RS).

Racha no NOVO

A carta também indica um racha da legenda quanto a quem será o candidato à presidência. "Na mesma oportunidade, também o deputado Tiago Mitraud revelou que foi procurado por dirigentes partidários sondando a possibilidade de se inscrever no processo seletivo do @partidonovo30 , porém para a Presidência da República", escrevem os autores do manifesto. "Honrado com a sondagem, Mitraud acenou a quem o procurou que, se for convidado, participará de todas as fases do processo seletivo."

No entanto o nome de João Amoedo, o empresário que fundou o partido e concorreu em 2018, já havia sido incensado à vaga.

Em seu Twitter, na quarta-feira (2), Mitraud disse que foi surpreendido pela indicação de seu nome ao cargo e que a candidatura não estava nos planos dele. No entanto, afirmou ter se convencido a tentar: "Após conversar com mais dirigentes e mandatários, entendi q a indicação de mais nomes é saudável ao partido, e decidi não me opor à iniciativa", escreveu.


> Ex-aliado de Bolsonaro denuncia distribuição de R$ 92 milhões para o PSL
> “O Parlamento precisa agir”, diz autora de PEC que barra militar em cargo civil

Continuar lendo