Lira e Pacheco definem semana que vem próximos passos da reforma tributária

Com o texto elaborado pela Comissão Mista da Reforma Tributária em mãos, os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), anunciaram na noite desta quinta-feira (13) que no início da semana que vem detalharão os rumos da reforma tributária.

A declaração foi postada pelos parlamentares nas redes sociais após o presidente do colegiado, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), entregar pessoalmente o relatório aos presidentes das Casas. "Trabalho árduo, feito com o espírito de destravar a economia brasileira e colocar o país alinhado às grandes economias do Planeta", disse o maranhense.

A proposta é a consolidada pelo relator da comissão, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e que se baseia nas PECs 45 e 110 e no PL 3.887/2020, de autoria do governo. A reforma sugerida pelo deputado é ampla e focada na tributação do consumo, propondo a criação do Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), que unificaria PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS.

> Leia a íntegra da proposta da Comissão Mista

Aguinaldo, assim como vários outros parlamentares ouvidos pelo Congresso em Foco, defendem que só uma reforma ampla mudará o “manicômio tributário” brasileiro. Já Lira e o governo propõem o fatiamento da reforma.

Roberto Rocha afirmou querer aprovar a reforma ainda este ano e lembra que ano que vem é ano eleitoral, o que prejudica o andamento de pautas como a tributária. "A gente quer fazer a reforma possível", afirmou.

Continuar lendo