Justiça do Maranhão suspende fechamento de agências do BB em todo país

Uma decisão liminar (provisória) da Justiça do Maranhão determinou a suspensão do fechamento de agências do Banco do Brasil em todo o país enquanto vigorarem medidas de combate à pandemia do novo coronavírus.

A informação foi divulgada nesta quarta-feira (3) pelo portal G1 e também pelo Sindicato dos Bancários do Maranhão, autor da ação. De acordo com a organização, a decisão é do juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís.

“DETERMINO ao Banco do Brasil que se abstenha de fechar quaisquer unidades/agências e mantenha o funcionamento pleno de todas as suas unidades e agências do país, enquanto perdurarem as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância nacional ", diz trecho da decisão divulgada pelo sindicato.

Em fevereiro, o banco anunciou plano de fechar 361 unidades no primeiro semestre deste ano - sendo 112 agências, sete escritórios e 242 postos de atendimento. O companhia de capital misto anunciou também uma reorganização dos quadros e um Plano de Demissão Voluntária que deve atingir cerca de 5 mil funcionários.

Ao atender ao pedido dos bancários, Martins considerou lei de fevereiro de 2020 que liberou governantes a estabelecer medidas de combate à covid-19 e ainda decisão de dezembro do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogando a autorização.

Ainda segundo o texto, o juiz deu prazo de 15 dias para o BB contestar a decisão. Ao Congresso em Foco, o Banco do Brasil informou que "aguarda ser citado da ação para analisar o conteúdo da decisão judicial".

O anúncio do plano de fechar agências e demitir funcionários provocou reação de diversas organizações que representam os trabalhadores da empresa. Entre as principais críticas está a falta de transparência do BB sobre as mudanças.

> Bancada do PT na Câmara reage a fechamento e demissões do Banco do Brasil

> Bolsonaro se comprometeu a “reagir” para BB não fechar agências, diz deputado

Continuar lendo