Inflação para população mais pobre cresce 0,89% em setembro

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) teve aumento de 0,89% em setembro. A alta, nos últimos 12 meses, é de 4,54%. O índice, calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), mede a inflação em produtos e serviços para famílias entre um e 2,5 salários mínimos.

De acordo com o relatório, três das oito classes pesquisadas sofreram aumentos: alimentos, que subiram 0,76% em agosto, saltaram para 2,26% em setembro; gastos com educação, leitura e recreação passaram de 0,09% em agosto para 2,44% em setembro.

Os saltos de inflação mais representativos foram do arroz e feijão, que pularam de 1,02% para 10,64% em um mês, e das passagens aéreas, que foram de 2,77% para 39,19%.

No acumulado do ano, a "inflação dos mais pobres" teve alta de 3,13% desde janeiro – o valor é mais que o dobro do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que registrou, entre janeiro e setembro, alta de 1,35%.

>Desemprego sobe e atinge recorde, aponta IBGE
>IPCA sobe 0,24%, e inflação em agosto é a maior em quatro anos

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!