Presidente do Senado tranca redes sociais; equipe suspeita de ataque

Ernesto AraújoItamaratyKátia Abreu (PP-TO)Ministério das Relações ExterioresRodrigo Pacheco (DEM-MG)Simone Tebet (MDB-MS)Tasso Jereissati
Comentários (2)
Comentar
  • MARCOS FREITAS

    Ele, como presidente do senado e também pelo fato de que quem controla suas redes sociais são funcionários pagos com o dinheiro nosso, dos impostos, não pode agir assim autoritariamente. Tem que prestar conta aos brasileiros e pelo jeito já sofreu pressão do stf (bem minúsculo mesmo) para não pautar o impeachment do Moraes. Esse tal movimento incomum em suas redes, chamado por ele de ataque, nada mais é que o povo apoiando essa pauta, incentivado pelo Coppolla. Se não suporta pressões, escolheu o cargo errado.

  • Leandro Palacio

    Ah vá!