“As gestões diplomáticas fracassaram”, diz Margareth Dalcomo sobre falta de vacinas no Brasil

AstraZenecacovid-19fiocruzMargareth Dalcolmopandemiaprêmio São Sebastiãovacinação
Comentários (4)
Comentar
  • Jorge Teixeira Carneiro

    Se esses institutos de pesquisas em vacinas estivessem no tempo da ”ditadura”, iriam ter que pesquisar vacinas.
    E não ficar embalando vacinas pesquisadas, criadas e enviadas prontas por outros países.
    Como tudo que é público no Brazil, foi aparelhado ideologicamente por incompetentes e parasitas bem remunerados ideológicos.
    Todos os países do mundo com alguma ciência estão pesquisando alguma coisa.
    Aqui querem que o governo compre dos outros e aplique.
    É isso no que a ”democracia” transformou o serviço público no Brazil

  • RômuloJ. Vieira

    Com todo o respeito a essa senhora, mas se pensarmos: Com 1 bilhão e trezentos milhões de habitantes prá serem vacinados a India nem deveria vender uma única dose de sua vacina!…O mesmo se aplica à China com seus 1 bilhão e quatrocentos milhões. O Brasil que se vire e já está programando ao a produção para até o fim do primeiro semestre de 300 milhões de dose feitas aqui mesmo.Acorde madame!…Ou a senhora achou que seria diferente!…País que está se especializando em somente produzir soja, tem que ficar na fila!

  • João Paulo M. A.

    Infelizmente a vacina é hoje um bem de consumo disputado em todo o mundo, apesar do Brasil ter se antecipado no caso da vacina de Oxford/Astra Zeneca, algumas empresas tem dificuldades de cumprir contratos quando são pressionadas por outros países mais poderosos que também querem o mesmo produto. O caso da China não é diferente, quando era só o Dória e já faziam quinze dias que os insumos estavam atrasados aí não havia problema diplomático nenhum. Fala sério!

  • Jorge Teixeira Carneiro

    A Fiocruz não vai conseguir entregar a Vacina?
    Mas péra lá!
    E ouvi na tarde de terça-feira na Band News que já estava tudo certo para a vacinação.
    Não se passaram nem 48 horas desde a festa de políticos, padres e jornalistas ao pé do Cristo Redentor, com uso de helicópteros, carros blindados, imprensa e já acabou o plano todo?