Empresas escondem informações sobre roubos de R$ 343 milhões a fortalezas e carros-fortes

bandidosBrink'scarros-fortescrise brasileiraempresas de segurançaFederação Nacional dos PoliciaisfenapeffortalezasladrõesPolícia FederalprosegurProtegeRevista Congresso em FocoRevista Congresso em FocoRodobanServi-Sanviolência
Comentários (6)
Comentar
  • Geraldo Gomes

    O problema é explicar a origem do dinheiro roubado.

  • Francesco Piraino

    As taxas de juros que essas instituições financeiras cobram das pessoas não é muito diferente de bandidos armados com .50

    • Alvaro Roberto Castro Souza

      Ninguém é obrigado a tomar dinheiro emprestado. Mas tem gente que além de pegar dinheiro emprestado, ainda o faz nas operações com as maiores taxas de juros do mundo, que são os créditos rotativos em conta corrente (cheque especial e CDC pré-aprovado).

      • Marcos Souza

        Concordo, ninguém é obrigado, mas infelizmente a pessoa em total desespero toma esse dinheiro, mesmo tendo noção que não tera condição de pagar. É a triste realidade de nosso pais, as pessoas tomam dinheiro por fome e isto não é bom para o sistema financeiro…o sistema não terá o dinheiro de volta!!!

        • Geisneer Lourenco

          Mas só emprestam, principalmente, por coerção estatal. Não fossem as medidas do Lulopetismo obrigando os bancos a baixarem os juros sob a regulação do BACEN, e emprestarem, mesmo que eles soubessem que boa parte destas pessoas não teriam condições de pagar, nem tinham nome limpo, não estaríamos passando por este caos nacional que regrediu nosso país em 10 anos. Os juros são a forma de equilibrar a balança. Isso só beneficiou temporariamente o setor imobiliário e automobilístico, fora as “comissões” ao partido.

          OFERTA & DEMANDA:

          Menos condições de pagar: Maiores juros e menos crédito, pra perda não ser grande e desincentivar as pessoas a pegarem.
          Maiores condições de salvaguardar o empréstimo e melhores históricos de bom pagador: Maiores limites e menores juros.

      • Geraldo Gomes

        Ninguém é obrigado, mas a pressão é grande. Veja quantos comerciais oferecendo empréstimos e te convencendo que é fácil quitar depois. E ainda tem o golpe dos consignados, um verdadeiro roubo contra a população mais pobre e desinformada, e o pior com o suporte do governo.