Colunistas

A desastrosa declaração de Rollemberg sobre o viaduto que caiu

"É um caso exemplar de péssima atitude de governante, que deverá ter impacto em outubro, quando os eleitores elegerão seus dirigentes para os próximos quatro anos"

 

 

Susto com o desabamento do viaduto em Brasília aumenta com  justificativa  dada pelo governador

Enquanto os moradores de Brasília tomavam um susto com a notícia do desabamento de um viaduto em pleno centro da capital, o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, afirmou que “Brasília é uma cidade que está envelhecendo, é feita de concreto e precisa de manutenção, de reforço das estruturas”.

A questão aqui vai além do erro de comunicação, pois Brasília completa 58 anos em abril e é uma das capitais mais novas no país. É um caso exemplar de péssima atitude de governante, que deverá ter impacto em outubro, quando os eleitores elegerão seus dirigentes para os próximos quatro anos.

A queda do viaduto, além de demonstrar descaso com a estrutura urbana e a segurança dos habitantes, é uma explicação de por que o atual sistema de representação política está desacreditado. Sobre o trecho do Eixão que desabou, o governador confirmou: “Esse, infelizmente, ainda não tinha recebido manutenção”.

 

“Não existe retrofit de reputação”, afirma consultor

Acostumado a explicar o Brasil para estrangeiros, o consultor Herbert Steinberg mostra-se cético quanto à possibilidade de empresas envolvidas em escândalos da proporção da Lava Jato promovam uma guinada e venham a ter compliance exemplar. Ele compara o efeito da operação ao de um acidente de avião ou um grande incêndio. Logo depois do evento, todos se preocupam, a fiscalização aumenta e todos seguem os procedimentos. Depois de um tempo, tudo volta a ser quase como era antes, diz.

Segundo Steinberg, para empresas que tenham enfrentado alto grau de comprometimento de imagem “não existe retrofit de reputação”. Ela acredita que a situação no Brasil não vai mudar sem uma completa alteração da estrutura de negócios, o modelo tributário e o ambiente institucional.

 

Folha deixa de publicar conteúdo no Facebook

Depois que a rede social reduziu a visibilidade do jornalismo profissional nas páginas de seus usuários, passando a privilegiar conteúdos de interações pessoais, a Folha de S.Paulo anunciou que vai parar de atualizar sua conta no Facebook, embora mantenha sua página na rede social.

Segundo anunciou o jornal, a decisão é reflexo de discussões internas sobre os melhores caminhos para que o conteúdo noticioso chegue aos seus leitores. A Folha informou que a importância do Facebook como canal de distribuição já vinha diminuindo antes da mudança revelada no mês passado pela rede social.

Segundo dados revelados pela Folha, em janeiro o volume total de interações (compartilhamentos, comentários e curtidas) obtido pelas 10 maiores páginas de jornais brasileiros no Facebook caiu 32%, em comparação com o mesmo mês do ano passado.

 

 

Continuar lendo

Curtir Congresso em Foco no Twitter e Facebook:




Publicidade Publicidade