Segóvia diz que deverá realocar agentes para atuar em investigações no STF

Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

Segóvia se encontrou com a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, na manhã desta sexta-feira (17)

 

O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Fernando Segóvia, disse nesta sexta-feira (17) que deverá realocar delegados e investigadores para operações mais importantes para o país, em detrimento de outras que, segundo ele, podem esperar mais tempo. O assunto foi um dos temas tratados nesta manhã com a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia.

<< Temer troca comando da Polícia Federal e substitui Daiello por Fernando Segóvia

“No Supremo Tribunal Federal há uma necessidade no reforço de delegados e investigadores para concluir o mais rápido possível as investigações que se encontram na Corte”, justificou. Segóvia não quis falar em nenhuma operação específica, mas disse que o objetivo é concluir no menor prazo possível essas investigações.

Posse

Fernando Segóvia também aproveitou o encontro para convidar pessoalmente a ministra Cármem Lúcia para sua posse, que ocorrerá na próxima segunda feira, às 10h30 da manhã, no Polícia Federal. O novo diretor assume no lugar de Leandro Daiello, estava no cargo desde 2011, nomeado na gestão do então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

<< Escolha do novo diretor da PF foi acertada entre Temer e Sarney, diz jornal

Continuar lendo

Publicidade Publicidade