Gisele Bündchen e Ivete Sangalo protestam contra decisão de Temer sobre reserva ambiental

Vergonha e absurdo - assim reagiram Gisele e Ivete contra liberação de área do tamanho do Espírito Santo para exploração privada de mineração

 

A decisão do presidente Michel Temer de liberar para a mineração privada uma área na região Amazônica equivalente à do estado do Espírito Santo gerou protesto de duas das mulheres mais conhecidas do país. A modelo Gisele Bündchen e a cantora Ivete Sangalo foram às redes sociais para criticar o decreto que extingue a Reserva Nacional do Cobre e seus associados (Renca), localizada entre o Amapá e o Pará.

“Vergonha! Estão leiloando nossa Amazônia! Não podemos destruir nossas áreas protegidas em prol de interesses privados”, escreveu a modelo. Horas depois foi a vez de Ivete usar sua conta no Instagram para protestar contra a medida: “Quanta notícia difícil de aceitar. Brincando com o nosso patrimônio? Que grande absurdo. Tem que ter um basta”.

Entidades ambientalistas também reagiram à decisão de Temer de liberar a região para a mineração privada. O principal minério da reserva é o ouro, e não o cobre, como sugere o seu nome. Também há ferro, manganês e tântalo. Desde 1984, a exploração na Renca era permitida apenas à estatal Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). Ainda como comparação, a área é maior que todo o território da Dinamarca.

<< Governo eleva royalties sobre minérios e cria agência reguladora para o setor
<< Governo se une a ruralistas para limitar demarcações de terras indígenas no STF

Continuar lendo

Publicidade Publicidade