Terça, 24 de Janeiro de 2017

Congresso em Foco ganha Prêmio Vladimir Herzog

Sylvio CostaO Congresso em Foco recebeu menção honrosa na categoria internet no 31º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, pela série de reportagens “Deputado Luiz Couto, o padre censurado pela Igreja Católica”. Criado em 1979 pelo Sindicato dos …

Edson Sardinha (E) foi o autor da série de reportagens sobre o deputado Luiz Couto

Edson Sardinha (E) foi o autor da série de reportagens sobre o deputado Luiz Couto

Sylvio Costa

O Congresso em Foco recebeu menção honrosa na categoria internet no 31º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, pela série de reportagens “Deputado Luiz Couto, o padre censurado pela Igreja Católica”. Criado em 1979 pelo Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, o Herzog é a principal premiação na área de direitos humanos do jornalismo brasileiro.
 
Edson Sardinha, editor do site, é o autor da série. Iniciada para mostrar o trabalho desenvolvido pelo deputado – do PT da Paraíba - no combate ao crime organizado, ela acabou revelando algumas de suas opiniões, e elas deram o que falar!

Padre desde 1976, Luiz Couto questionou publicamente certos dogmas da Igreja Católica. Criticou a proibição do uso de preservativos, o celibato clerical e a intolerância em relação aos homossexuais.
 
As declarações foram imediatamente condenadas pelo arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto. Ao tomar conhecimento da entrevista, reproduzida por vários outros veículos de comunicação, ele suspendeu Luiz Couto das atividades sacerdotais. A punição provocou forte reação de movimentos dos direitos humanos e de setores da própria Igreja Católica, que não se conformaram com a condenação sumária do clérigo.
 
Então eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Luiz Couto só retomou seu direito de exercer o sacerdócio um mês depois, quando, pressionado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o arcebispo da Paraíba revogou a suspensão.

Ameaças de morte

Luiz Couto tornou-se um dos principais alvos do crime organizado no país por sua atuação à frente da CPI dos Grupos de Extermínio no Nordeste, que se destacou pelo trabalho realizado, sobretudo, em Pernambuco e na Paraíba.
 
Em 24 de janeiro deste ano, como num aviso do que poderia lhe ocorrer, foi assassinado o advogado Manoel Bezerra Mattos Neto, militante dos direitos humanos e ex-assessor da CPI.
 
A morte do advogado levou integrantes da bancada do PT na Câmara a solicitarem ao Ministério da Justiça proteção da Polícia Federal (PF). O pedido se estendia ao deputado Fernando Ferro (PT-PE), que, como Couto, também era alvo de ameaças.

O histórico do deputado-padre e sua militância na defesa dos direitos humanos levaram o Congresso em Foco a publicar o perfil “Padre, deputado e adversário do celibato”.

Premiação

Edson Sardinha é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás e fez curso de extensão pela Universidade de Navarra, em iniciativa conjunta com o jornal O Estado de S. Paulo. Está na equipe do Congresso em Foco desde o lançamento do site, em fevereiro de 2004.

Este é o segundo ano consecutivo em que este site recebe menção honrosa no Prêmio Vladimir Herzog. Em 2008, foi premiada a série Vida e Morte Correntina (leia mais), de Lúcio Lambranho.

Na categoria internet, o prêmio principal deste ano ficou com Lúcia de Fátima Rodrigues Gonçalves e Tatiana Merlino, da revista Caros Amigos, com a reportagem “Uma missa para um torturador”. Outra menção honrosa foi dada a Amanda Machado Cieglinski, da Agência Brasil, com a matéria “Analfabetismo: a exclusão pelas letras”. Segundo os jurados, os critérios para premiação foram relevância do tema, conteúdo, pauta e edição.
 
A cerimônia de entrega do prêmio será realizada na próxima segunda-feira (26), em São Paulo, a partir das 19h30, no Teatro da Pontifícia Universidade Católica (Tuca).
 
Clique aqui para conhecer todos os trabalhos que receberão o Prêmio Vladimir Herzog neste ano.

Continuar lendo

Curtir Congresso em Foco no Twitter e Facebook:

Deixe um comentário

comments powered by Disqus
Publicidade Publicidade