Congresso Brasil 2030 convoca cidadãos em defesa dos objetivos fundamentais da República

Reprodução

O congresso é uma iniciativa do Projeto Brasil 2030 e será organizado pela empresa júnior Publicae

 

No momento em que o país vive mergulhado em uma das maiores crises política e econômica de sua história, um movimento desponta com o propósito de identificar e construir caminhos em busca do cumprimento dos princípios básicos da Constituição. O 1º Congresso Brasil 2030 será realizado na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da UnB, nos dias 20 e 21 de novembro. Para participar, basta fazer inscrição no site do evento (inscreva-se aqui).

Na pauta, itens como a construção de uma sociedade livre, justa e solidária; soluções para garantir o desenvolvimento nacional; erradicação da pobreza e da marginalização com redução das desigualdades sociais e regionais; além da promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. Os quatro pontos fazem parte dos objetivos maiores da Constituição de 1988.

Um dos cofundadores do Projeto Brasil 2030, que também atua na organização do debate, o gestor público federal André Rafael conta que a ideia é elaborar propostas para a retomada do desenvolvimento do país. “Acreditamos firmemente que o direcionamento estabelecido pela Constituição pode iluminar as decisões que precisamos tomar para restaurar a confiança nas instituições e recolocar o Brasil no caminho do desenvolvimento tão almejado pela sociedade”, defende. “Qualquer diálogo sincero de compromisso com a República e com as normas legais deve partir desses quatro objetivos”, acrescenta.

Reprodução

André Rafael é gestor público federal e um dos cofundadores do projeto

Serão dois dias de debates plurais e qualificados, nos quais estarão presentes alguns dos mais importantes políticos e especialistas brasileiros. O evento contará com a participação de representantes de associações, sociedade civil organizada, organizações sociais, jornalistas, frentes do governo, parlamentares e procuradores. O congresso é uma iniciativa do Projeto Brasil 2030 e será organizado pela empresa júnior Publicae.

Olavo Santana, diretor de Administração e Finanças da Publicae, empresa júnior de Gestão de Políticas Públicas da UnB, disse ao Congresso em Foco que o evento surgiu a partir da percepção de que diversos atores estão agindo com agendas complementares e objetivos comuns, mas muitas vezes de uma forma pouco integrada.

“Precisávamos de um espaço onde eles pudessem se encontrar e alinhar essas expectativas, encaminhar parcerias. Que espaço melhor do que a universidade? Precisamos resgatar o espírito precursor das universidades, que não podem ficar isoladas em bolhas ideológicas. Esse é também o papel das empresas juniores: sermos uma ponte entre a academia e o mundo profissional, integrando e fortalecendo espaços. Criando elos”, explica.

O evento tem como patrocinadores a Editora Meia Um, o Manual de Guerrilha do Servidor Público e o Projeto Ouro Branco 2030. Além dos patrocinadores, conta com o apoio institucional do Congresso em Foco, da Agenda Pública, do Café com Política, da UnB, Visão Mundial e Observatório Social de Brasília.

A intenção dos organizadores é tornar o evento uma agenda regular no calendário da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Gestão de Políticas Públicas da UnB, abrindo caminhos, em especial, para que os alunos do curso de gestão de políticas públicas interajam com os mais importantes atores nacionais, em busca dos quatro objetivos fundamentais da Constituição.

Participarão do evento como palestrantes: Ariel Pares, Ex-Secretário de Planejamento e Investimentos Estratégicos do Ministério do Planejamento; Clarice Ziller, da Visão Mundial; Clemente Ganz Lúcio, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE); Everardo Aguiar, do Cidade Aberta; Gilberto Perre, da Frente Nacional de Prefeitos; Guilherme Brandão, do Observatório Social de Brasília; Helber Vieira, do INEP; Hélio Doyle, Jornalista; Humberto Ribeiro, da Confederação Nacional de Serviços (CNS);  Isabel Figueiredo, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública; João Capiberibe, senador pelo PSB-AP; Julio Marcelo, Procurador de Contas junto ao Tribunal de Conta da União (TCU); Leandro Couto, da Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Planejamento e Orçamento (Assecor); Marivaldo de Castro Pereira,  Ex-Secretário Executivo do Ministério da Justiça; Priscila Pereira, do Instituto Millenium; Ricardo Karam, do IPEA; Roberto Ellery, Ppofessor de Economia da UnB; Roberto de Lucena, deputado pelo (PV-SP); Rômulo Neves, diplomata; Sylvio Costa, fundador do site Congresso em Foco; Wagner Martins, da Fiocruz; e Wellington Lourenço de Almeida, da FAP-DF.

<< Senadores-empresários foram maioria absoluta dos votos a favor da reforma trabalhista; veja a lista

<<Mesmo impopular, Temer aproveita pouco barulho à esquerda e à direita nas ruas para tocar agenda

Continuar lendo

Publicidade Publicidade