Campeão de processos responde por sequestro

Roosevelt Pinheiro/ABr

Deputado atribui acusações a perseguição política

Engenheiro agrônomo e líder dos arrozeiros no conflito pela terra indígena Raposa Serra do Sol, o deputado Paulo César Quartiero (DEM-RR) chegou a ser preso após funcionários de sua fazenda dispararem tiros e bombas caseiras contra índios. Ex-prefeito de Pacaraima (RR), foi o segundo deputado mais votado de seu estado. É o parlamentar com mais processos no STF.

São 14 investigações (seis já transformadas em ações penais) por crimes como sequestro e cárcere privado, dano qualificado, sonegação de contribuição previdenciária e crimes contra o meio ambiente, o patrimônio e a ordem econômica.

Em uma das ações, o deputado responde pela invasão a uma missão religiosa, em 2004, que resultou no sequestro de três padres ligados à causa indígena. “Fui um dos rizicultores de Roraima que questionaram a decisão do STF a favor da demarcação contínua da reserva Raposa Serra do Sol. Na verdade, todos esses processos não passam de tentativas de intimidação e formas de perseguição política. As acusações não têm qualquer fundamento”, defende-se o deputado.

Como líder dos arrozeiros que ocupavam Raposa Serra do Sol, ele comandou a resistência à decisão do governo federal, em 2005, de retirar os fazendeiros da reserva indígena. O caso só foi resolvido quatro anos mais tarde após o STF determinar a imediata retirada dos arrozeiros após uma série de conflitos com populações indígenas e seus defensores. Na terra de 1,7 milhão de hectares, vivem atualmente 19 mil índios. Os conflitos deram visibilidade ao prefeito e pavimentarem sua eleição para deputado dois anos mais tarde.

De homicídio a sequestro, os crimes no Congresso
Deputado acusado de associação ao tráfico de drogas
De volta ao Senado, Jader dá trabalho ao STF
STF investiga deputado por duplo homicídio

Colaborou Larissa Guimarães

Leia ainda:

Saiba mais sobre o Congresso em Foco (vídeo de 2 minutos)

Continuar lendo

Publicidade Publicidade