Globo nega erro em reportagem sobre ‘bolinha de papel’

Eduardo Militão

A TV Globo enviou nota ao Congresso em Foco em que negou a acusação feita pelo ministro-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom), Franklin Martins, de que errou ao noticiar o episódio da “bolinha de papel” que atingiu o então candidato a presidente José Serra (PSDB). A reportagem de sete minutos do Jornal Nacional mostrava que, além da bolinha, Serra tinha sido atingido por um segundo objeto arremessado por petistas. Em entrevista à TV Congresso em Foco, Franklin disse que a emissora desconsiderou uma decupagem da reportagem da Globo, que, segundo o ministro, “desmoralizou” a notícia do Jornal Nacional.

A Central Globo de Comunicação afirmou que o trabalho do professor de Jornalismo, citado por Franklin na entrevista, não pode ser considerado superior às duas perícias técnicas consultadas pelo JN, as de Ricardo Molina e Maurício de Cunto. A Globo lembrou que o próprio SBT, que veiculou a primeira reportagem atribuindo o episódio apenas a uma bolinha de papel, levou ao ar outra reportagem, com a informação de um segundo objetivo atirado contra Serra.

A íntegra da nota da TV Globo:


A Globo não errou. E não considera que um professor de Jornalismo seja tecnicamente capaz de desmentir duas perícias feitas por técnicos especializados.

A Globo mostrou, primeiro, perícia de Ricardo Molina, atestando que o então candidato José Serra fora atingido em dois momentos distintos, primeiro por uma bolinha de papel, depois, por outro objeto, algo como uma fita de papel crepe. Em seguida, para que não pairasse a menor dúvida, encomendou nova perícia, desta vez ao perito forense Mauricio de Cunto, que chegou às mesmas conclusões de Molina, a partir de análise própria.

Em relação ao episódio, o SBT, autor da reportagem sobre a bolinha de papel, enviou carta à Revista Veja, defendendo-se da acusação da revista de que errara na referida matéria e que não se corrigira.

Na edição de Veja de 3/11/2010, Daniel Pimentel Slaviero, responsável pelas relações institucionais do SBT, escreveu: “(...) Até aquele momento não tínhamos conhecimento de outro vídeo captado por um jornalista da Folha de São Paulo, por celular, que mostrava o episódio posterior, em que um rolo de fita crepe atinge a cabeça do candidato José Serra. Quando tomou conhecimento desse novo fato, o SBT tratou de registrá-lo no mesmo dia em seu jornal da  meia noite. No SBT Brasil do dia seguinte, quinta-feira, o apresentador Carlos Nascimento voltou ao assunto, ressaltando que o segundo incidente não fora captado por nossa equipe, mas frisou que o candidato José Serra fora atingido duas vezes em um intervalo de poucos minutos. (...)”

Julgue  agora o leitor quem errou nesse episódio.


Veja ainda:


Exclusivo: a mídia, na visão de Franklin Martins

A regulamentação que o ministro defende para as comunicações

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!