Vitor Hugo diz que placa era “tão preconceituosa quanto racismo”

O líder do governo na Câmara, Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (20),  que o ato do deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), que quebrou a placa de uma campanha contra o genocídio da população negra, foi para defender os policiais. Na imagem, um homem negro aparece morto, algemado e vestindo uma camisa com a bandeira do Brasil e no fundo, um policial indo embora com sua arma em punho. Para o Major Vitor Hugo, a imagem era tão preconceituosa quanto o racismo.

> Exclusivo: Deputado diz que se sente feliz por poder quebrar placa

“Fazer uma generalização de que todos os policiais contribuem para a morte de negros no Brasil é uma visão parcial do problema e certamente é tão preconceituoso quanto o racismo, é ter o preconceito com um grupo de brasileiros que expõe suas vidas todos os dias em prol da sociedade brasileira”, disse o deputado.

Ele afirmou entender a atitude do Coronel Tadeu como uma defesa dos policiais. “Nós entendemos a atitude do Coronel Tadeu como uma defesa dos policiais militares e dos profissionais de segurança pública”, afirmou.

Na coletiva, os deputados do PSL também falaram sobre a situação do PSL, que, segundo eles, estaria perseguindo a ala bolsonarista. Os deputados afirmaram que não querem sair da sigla, que, no que depender deles, irão permanecer na legenda até que o presidente Jair Bolsonaro possa criar o Aliança Pelo Brasil.

 

ala bolsonaristaAliança pelo BrasilCoronel TadeugenocídioGenocídio NegroJair Bolsonarolider do governoPSLracismoVitor Hugo