Em protesto, bolsonaristas atacam profissionais de saúde; veja o vídeo

Em protesto realizado na Praça dos Três Poderes, em Brasília, neste 1º de maio, profissionais da saúde foram alvo de ataques por parte de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

Acompanhe ao vivo ato das centrais com Roger Waters, FHC, Ciro, Marina e Lula

“Vocês não vão destruir essa nação”, disse um dos homens de verde e amarelo, chamando os profissionais de “analfabetos funcionais” e “esquerdopatas”. “Nós vamos varrer os comunistas desta nação”, continuou ele. No vídeo, é possível ouvir pessoas pedindo para que os profissionais não reagissem às agressões.

Vestidos de jalecos e máscaras e empunhando cruzes, enfermeiros e técnicos da área de saúde protestavam de forma silenciosa . Uma faixa estendida pedia para as pessoas ficarem em casa, reforçando as medidas de isolamento social.

“O ato queria chamar atenção para a enfermagem nacional e tinha três objetivos centrais: defender o isolamento social com base científica, homenagear os trabalhadores da enfermagem de todo o Brasil que morreram lutando contra a Covid-19 e mostrar a importância da categoria”, informou o Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal em nota (íntegra abaixo).

Apoiadores do presidente se aproximaram dos profissionais, xingando-os. O protesto foi encerrado após o episódio.

Veja o vídeo:

“Quando a gente sente o cheiro de quem não passou perfume a gente entende o tipo de pessoa que você é!”, disse uma das mulheres a uma profissional de saúde. Ela alegou que tem filhos médicos e enfermeiros e disse que eles “não estragam a nação”.

Leia a nota divulgada pelo Sindicato dos Enfermeiros do DF:

NOTA DE REPÚDIO AS AGRESSÕES SOFRIDAS PELAS ENFERMEIRAS DURANTE A MANIFESTAÇÃO EM PROL DA ENFERMAGEM NACIONAL, NA PRAÇA DOS TRÊS PODERES

O Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal vem por meio dessa nota repudiar agressões físicas e verbais que apoiadores do Presidente da República cometeram contra enfermeiras na manhã desta sexta-feira, dia 1º de maio, que participavam de um ato na Praça dos Três Poderes.

O ato tinha como objetivo chamar a atenção para a enfermagem nacional. O protesto tinha três objetivos centrais: defender o isolamento social com base científica, homenagear os trabalhadores da enfermagem de todo o Brasil que morreram lutando contra a Covid-19 e mostrar a importância da categoria.

O Ato foi uma iniciativa da categoria, apoiada pelo Sindenfermeiro, uma vez que os diretores da entidade são enfermeiros e também estão na linha de frente. A organização se seu a partir dos próprios trabalhadores da enfermagem que estão na linha de frente contra o novo coronavírus.

As atitudes tomadas pelos apoiadores do governo vão ao encontro de ideologias fascistas e antidemocráticas. Infelizmente, são embasadas pelas atitudes do Presidente da República que diversas vezes debocha das consequências da pandemia, desconsidera todas as recomendações e diretrizes sobre a importância do isolamento social ao combate do novo coronavírus.

Hoje, no Brasil, são mais de 2,3 milhões de profissionais de Enfermagem, que estão na luta contra a Covid-19. Por isso, em respeito à vida da maioria da população e pensando na segurança dos milhares trabalhadores da saúde que superam o medo para salvar vidas, o SindEnfermeiro repudia, veementemente, as atitudes fascistas e antidemocráticas do grupo pró-governo, e ressalta a importância de a população seguir as recomendações da comunidade científica mundial de isolamento social.

O sindicato se orgulha das enfermeiras que resistiram às provocações do grupo bolsonarista. A enfermagem é feita de luta. O SindEnfermeiro reitera seu compromisso pela defesa das enfermeiras e enfermeiros, do Sistema Único de Saúde público e universal e da democracia acima de tudo e de todos.

E por fim, relembra #LuteComoUmaEnfermeira !

> Cadastre-se e acesse de graça por 30 dias o melhor conteúdo político premium do país   

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!