Congresso em Foco

Seis propostas para melhorar a segurança pública no Brasil

26.08.2014 08:30 12

Publicidade

12 respostas para “Seis propostas para melhorar a segurança pública no Brasil”

  1. Gildo de Lima disse:

    Também tenho seis sugestões: pena de morte por enforcamento; pena de morte por cadeira elétrica; pena de morte por fuzilamento; pena de morte por injeção letal; pena de morte por afogamento e pena de morte por câmara de gás. As sugestões acompanhadas pela inversão da pirâmide, qual seja, quanto mais importante, mais graduado, mais escolarizado, mais rico, mais influente mais rápido o processo nenhuma possibilidade de recurso. Crimes que envolvessem dinheiro, cargo ou função pública execução sumária sem processo. Aplicação da pena a partir de l2 (doze) anos. Penas aplicáveis para a grande maioria de crimes titulados no Código Penal e leis extravagantes. Para os demais crimes, aplicar- se- ia estas penas terminativas em qualquer caso de reincidência. Enfim, passou da hora de acabar com a “mamãezada”, com a brincadeirinha de roda, com o parque de diversões que é o tal de combate ao crime aqui em Patropi.. Outra coisa, esse negócio de crime leve é pura rebarbação. Crime é crime e acabou. Os doutos que acham de taxar alguns crimes de leves que os revoguem no estatuto penal, porque para mim o roubo da minha bicicleta velha é tão grave quanto o roubo do banco do Setúbal. Bandido bom é o bandido que não nasceu.

    • Aguinaldo Santana disse:

      Olá, faltou mais um quesito na sua lista macabra de penas de morte, poderíamos incluir a pena de morte para pessoas que digam tantas asneiras sem conhecimento de causa, limitando_se a repetir o que ouve dá media sensacionalista!

      • Gildo de Lima disse:

        Ô três com goma, e qual o seu fabuloso “conhecimento de causa”. Você é o religiozinho que acredita em recuperação de marginal? Você é aquele que espera de braços abertos em sua fábrica de dinheiro, dita igreja, um “recuperando” para chamar de “ex”. Eu não curto “média”, muito menos bandido. Eu os prefiro eliminados. Mas, se a sua for resgatá- los para a vida do crime, tudo bem, leve os vermes para sua casa e cuide deles. Por favor, só não os deixe cruzar comigo. No mais, faça bom proveito.

        • Aguinaldo Santana disse:

          Falou o pseudo intelectual, não amigo, não sou religiosinho como você mencionou, aliás não sou adepto de nenhum novo religioso, mas isto não vem ao caso, só para constar sou Doutor em direito especialista em ações sociais e criminalista, e já a 25 anos desenvolvo trabalho em pesquisas nesta área, mas não irei me aprofundar no assunto, pois creio que seria demasiado complexo para sua mentalidade de ogro.

  2. Bento Sartori de Camargo disse:

    Ou esmagamos o “crime” ou seremos esmagados por ele. Apenas uma questão de opção, simples assim!. Na prisão é ruim? tá fácil, comporte-se como um ser humano de bem e jamais irá parar lá. Chega de “café da manhã, 2 quentinhas por dia com carne diferente sempre, energia elétrica nas celas, água e esgoto”. Tudo para o escorchado contribuinte pagar para esses condenados. Socooooooooorro!.

  3. Sidney Nunes Costa disse:

    como advogado, não praticante na área criminal, vou te dizer os passos para minorar a violência galopante:
    LEIS PENAIS MAIS DURAS
    LEIS PROCESSUAIS PENAIS SEM TANTOS RECURSOS
    JUSTIÇA SUMÁRIA
    DIMINUIR A MAIORIDADE
    INVESTIR EM EDUCAÇÃO
    REFORMA TRIBUTÁRIA
    REFORMA ELEITORAL
    PENAS DURISSIMAS PARA A CORRUPÇÃO
    TOLERÂNCIA ZERO COM O TRAFICO DE ARMAS E DROGAS.

    • Aguinaldo Santana disse:

      Olá caro colega, com a sugestões apresentadas fica claro que realmente é um ‘ não praticante’ e pouco, quiçá, quase nada conhece sobre o assunto em questão, só acertando em apenas 4 pontos de todos os que apresentou, sendo; investimento em educação, reformas tributárias e eleitorais e por fim legislação mais dura para crime de corrupção, nos demais lamento, mas errou feio…

    • Andrew Jackson Sousa Lima disse:

      Como que a reforma tributária e eleitoral vai diminuir a violência?

  4. eleitor de lula disse:

    INSTITUTO SOU DA GUERRA Não tem como não passar a régua no banditismo galopante que nos atormenta. Enquanto aguardamos demoradas soluções sociais para o problema, não podemos continuar a ver diariamente a montanha de nocentes assaatados, violentados e assassinados por bandidos que, quando muito, são delicadamente levados VIVOS para as delegaciias saturadas e sistema penitenciário viciado.

    • Sidney Nunes Costa disse:

      a saída é mostrar ao bandido que o crime não compensa, seja o bandido político, colarinho branco ou bandido de fato.
      Alguns crimes, especialmente os de homicídio deveria ter a pena mínima elevada para pelo menos 20 anos de reclusão.
      acabar com essas saidinhas temporárias e colocar o apenado para estudar e trabalhar.
      parar de passar a mão na cabeça de bandidos: delinquio é inimigo da sociedade. Vai cumprir a pena pelo menos de 4/5 da sentença para ter direito a progressão.

  5. Pacificador disse:

    Eu tenho mais algumas sugestões:
    1. Pena de morte, para crimes hediondos, sem apelação;
    2. Maioridade aos 14 anos, para crimes cometidos com arma letal;
    3. Prisão perpétua;
    4. Bandido tem que trabalhar para pagar sua internação;
    5. Fim do “salário presidiário”;
    6. Fim das “visitas conjugais”, presídio não é Motel;
    7. Fim das saídas de Dia dos Pais, das Mães, Natal, Pascoa e etc…
    Tem mais, mas essas creio que ajudariam, a parar com a palhaçada que é a “segurança”, no Brasil…

    • Aguinaldo Santana disse:

      O amigo demonstra com seu comentário equivocado não fazer jus ao Nick de pacificador ao sugerir, ao que parece, que o país retroceda aos anos de chumbo e atos institucionais dos períodos de exceções dá ditadura militar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via