Congresso em Foco

Confederação Nacional de Municípios diz que saída dos 8,5 mil médicos cubanos pode deixar 28 milhões de pessoas sem assistência médica básica no Brasil. Presidente entidade também afirma que situação pode “levar a estado de calamidade pública”[fotografo]José Cruz / Agência Brasil[/fotografo]

Saída de cubanos do Mais Médicos pode deixar 28 milhões desassistidos, diz CNM

15.11.2018 20:07 11

Publicidade

11 respostas para “Saída de cubanos do Mais Médicos pode deixar 28 milhões desassistidos, diz CNM”

  1. Adyneusa Moura Oliveira disse:

    Porque bolsonaro não questiona a preparação e pedi revalidação dos outros médicos de outras nacionalidades e brasileiros na mesma situação? São 12 mil médicos na mesma situação porque não questiona? Porque é mentira, pura ideologia atrasada, retrograda e falta de conhecimento técnico,
    Isso não é fala de um chefe de Estado, por twitter agredir os médicos cubanos desrespeitando acordos feitos pelo governo brasileiro com a OPAS e Cubas. Não tem diplomacia.
    Quero vê resolver esse problema gravíssimo que arrumou, pois não tinha.
    Nem resolverá a médio e nem longo prazo. Pois se o Temer não tivesse encerrado o plano de governo para preparar médicos brasileiros hoje teríamos uma laternatina.
    Mas pra que pensar em povo?

  2. Dila Costa disse:

    Parabéns aos eleitores do Bolsonaro que tanto queriam os médicos cubanos fora do Brasil. Vcs venceram mais uma.

  3. Miriam Tinoco disse:

    Sabe quanto Cuba recebe por cada médico ? Sabe quanto ele recebeu no total ? Qual é o problema deles fazerem a prova ? (acredito que muitos, se pudessem, fariam) ou acham que estes médicos querem continuar escravos de uma governo totalitário ? Vcs acham que eles não queriam trazer suas famílias ? Vcs acham que eles não querem receber 100 % dos seus salários ? Quem está mandando eles de volta é o ditador pois ele quer continuar mamando nos cofres públicos !!! Impasse porque o governo brasileiro não vai mais sustentar Cuba as custas do trabalho destes escravos ?

    • Dila Costa disse:

      Quem está mandando os médicos cubanos embora do Brasil é o presidente eleito Jair Bolsonaro. Que nem assumiu ainda e já mandou notas para o governo cubano sobre como seria a política que ele estava propondo para eles continuarem no programa. E nessa só facilitou o trabalho do futuro presidente, que aliás tem vários vídeos dele dando indícios que de um jeito ou de outro já ia mandar os cubanos de volta pra Cuba mesmo.

      • Bento Sartori de Camargo disse:

        Dila, vc leu e entendeu a mensagem que a Miriam postou?, é exatamente o que eu tbm escreveria. O nó está no fato da nossa Saúde Pública continuar sendo sub-financiada por muitos anos, gerando situações insustentáveis principalmente para os Municípios. Há um sistema muito incoerente na gestão dos parcos recursos da nossa Saúde Pública.

        • Dila Costa disse:

          Li sim e entendi. E com o congelamento de gastos com a saúde que mina ainda mais esses recurso, vai piorar mais ainda a Saúde Pública no Brasil.

          • Bento Sartori de Camargo disse:

            Eu trocaria o “congelamento de gastos” por racionalização de custos, é o que toda empresa da iniciativa privada faz e funciona.

    • Adyneusa Moura Oliveira disse:

      Você sabe quantos médicos existem no programa Mais Médicos na mesma situação que os médicos cubanos? 12 mil médicos, entre ele brasileiros, bolivianos, paraguaios, espanhóis, portugueses. E porque não se exige o mesmo dos 4000 mil médicos? Porque essa fala é mentirosa, é pura ideologia.
      Além do mais os outros médicos estrangeiros vem por conta própria e se inscrevem no programa, enquanto Cuba tem outro regime, importa médicos que continuam com sua moradia, educação, saúde gratuitos e o dinheiro restante é para investir em educação.

      Se eles quiserem sair de Cuba e morar em outro país são livres pra isso, nada impede, como outros fizeram.
      E qual brasileiro que recebe 100% de seus salários? Médicos brasileiros ganham uma média de 5 a 13 mil dependendo da região, com os descontos de impostos + impostos sobre consumo, transporte, alimentação e aluguel, sobra quanto? Maioria dos trabalhadores brasileiros ganham em média 1900,00, outros um salário mínimo, para pagar aluguel, alimentação, transporte e nada sobra.
      Quem mama nos cofres públicos, Cuba que transforma os impostos em benefícios públicos, ou o governo brasileiro que engole metade dos salários e nada oferece em trica?

      E no seu desconhecimento, Os médicos cubanos não trabalhavam de graça, Cuba não mamava no governo brasileiro, importava mão de obra, como faz para 66 países, nas mesmas condições.
      Agora como vai se resolver esse problema a médio ou curto prazo? Qual médico brasileiro vai preencher essas vagas? Temos apenas 4 mil brasileiros trabalhando nesse programa.

      É a mercantilização da medicina, tornou-se meio para ficar rico e não para salvar vidas.
      Pelo menos os médicos cubanos são formados para salvar vidas e não ganhar dinheiro.

  4. Sérgio Salomon disse:

    O CNM DEVERIA COBRAR NÃO DO GOVERNO MAS DOS CONSELHOS DE MEDICINA QUE A TITULO DE MANTER EXCLUSIVIDADE NA ATIVIDADE MÉDICA IMPEDIRAM NO GOVERNO TEMER A ABERTURA DE NOVOS CURSOS DE MEDICINA. NECESSITAMOS DE MAIS MÉDICOS MAS A “PANELINHA” MÉDICA NÃO QUER QUE O SISTEMA SEJA AMPLIADO. SE TORNOU UM NEGÓCIO MÉDICO E NÃO UMA ATIVIDADE DE CUNHO SOCIAL.

    • Adyneusa Moura Oliveira disse:

      A mercantilização da medicina, são os médicos capitalistas que preferem abrir um consultório médico ou fazer um concurso nas forças armadas ou PM para ganhar altos salários e patentes.
      Is pros brejos, aldeias indígenas, periferias, sertões cuidar dessa gente fedorenta?
      Os médicos brancos de classe média alta não estão disponíveis, Mas tbm não querem os médicos estrangeiros, querem plano de carreira para trabalharem no SUS bater cartão e irem embora, deixarem os pacientes morrerem.
      Esses são os médicos brasileiros.

  5. José Andrade Andrade Andrade disse:

    É bom já ir se acostumando!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via