De sono a xingamento: veja cenas inusitadas em transmissões públicas

Com a decretação do estado de calamidade pública no Brasil em função da pandemia de covid-19, diversos órgãos públicos aderiram ao trabalho remoto. Nesses cinco meses, reuniões e sessões públicas têm sido transmitidas online, dando espaço a gafes de autoridades e outras situações inusitadas.

Veja abaixo um compilado de cenas:

Na última quarta-feira (29), o desembargador José Ernersto Manzi, da 3ª Câmara do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT 12), não percebeu que seu microfone estava ligado enquanto a desembargadora Quézia Gonzalez falava e disse: “isso, faz essa carinha de filho da puta que você já vai…”. Ao perceber que seu microfone estava ligado, ele interrompeu a frase. A desembargadora prosseguiu a fala como se nada tivesse ocorrido.

Durante a sessão de julgamentos da 4ª turma Recursal do Tribunal de Justiça da Bahia, o advogado Marcus Albuquerque participou da videoconferência deitado em uma rede.

Em junho, durante sessão da Assembleia Legislativa da Paraíba, a imagem do deputado estadual Jeová Campos (PSB) mostrou uma mesa com garrafas de cerveja. “Estava invertido, estava parecendo outra mesa”, disse ele ao ativar a câmera frontal do aparelho.

Durante a sessão da 4ª câmara Cível, o procurador de Justiça José Raimundo pegou no sono ao vivo. Colegas não contiveram o riso, mas seguiram a sessão.

Na Câmara dos Deputados, chamou a atenção a interrupção do neto do líder do PT, deputado Enio Verri (PR), em busca de um papel. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aproveitou para saudar João Miguel e disse que ele animava “esse ambiente pesado que vive a política hoje em dia”.

Na Paraíba, o vereador Ditinho do Asilo (PSC) foi flagrado durante a chamada de vídeo para a sessão da Câmara de Bragança Paulista cheirando uma calcinha comestível. O flagrante ocorreu em junho.

Em reunião com empresários e ministros em maio, o presidente Jair Bolsonaro chamou atenção para um fato inusitado: um dos participantes não percebeu que a câmera estava ligada e apareceu pelado na transmissão ao vivo.  “Tem um peladão. Fazendo isolamento peladão em casa. Beleza. (…) O cara ficou com calor e foi tomar um banho frio”, falou o ministro Paulo Guedes. Bolsonaro brincou com o fato e disse: “Infelizmente, nós vimos [gargalhadas]. Era um quadro sinuoso, mas nós vimos, infelizmente”.

Weintraub é condenado por danos morais em ação movida pela UNE

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!