Senador Cid Gomes apresenta “boa evolução clínica”, diz boletim médico

O senador Cid Gomes (PDT-CE) levou dois tiros na tarde desta quarta-feira (19), no município de Sobral (CE), e está recebendo cuidados na Santa Casa de Misericórdia da cidade. De acordo com boletim divulgado às 19h40 pelo Hospital do Coração, onde Cid recebeu os primeiros cuidados , ele está apresentando uma "boa evolução clínica", se encontra lúcido e está respirando sem o auxílio de aparelhos.

Inicialmente a informação divulgada foi de que o senador teria sido baleado por uma bala de borracha ao tentar dissipar o movimento de greve dos policiais do estado. Às 18h11, entretanto, a assessoria do senador confirmou que ele foi atingido por balas de fogo. O ex-governador Ciro Gomes, irmão de Cid, disse que ele não tem risco de morte.

Pessoas próximas ao senador disseram ao Congresso em Foco que a situação de Cid é estável e que ele está bem assistido – conta com um neurocirurgião, cirurgião toráxico, cirurgião vascular, anestesista, cirurgião geral e cirurgião cardíaco. Ele foi atingido na clavícula e no pulmão esquerdo, provocando um pneumotórax – presença de ar entre as duas camadas da pleura, membrana que reveste o órgão.

Após o atendimento no Hospital do Coração de Sobral, Cid foi levado à Santa Casa da cidade, onde passa por uma tomografia para saber se houve alguma outra lesão, além das já identificadas.

O senador foi baleado ao avançar com uma retroescavadeira sobre um piquete feito por policias militares em greve. Em vídeos que mostram o momento dos disparos, Cid dirige a retroescavadeira em direção quartel onde estão os PMs e arranca o portão de entrada com a pá do trator.

Como consequência do episódio, uma série de autoridades próximas ao senador estão se dirigindo a Sobral, que fica a 231 km da capital do estado, para acompanhar o atendimento médico ao congressista cearense, entre eles o governador Camilo Santana (PT), o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), e o presidente da Assembleia Legislativa do estado, José Sarto (PDT).

Caso repercute em Brasília

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), divulgou nota sobre o caso.

"Acompanho com preocupação os desdobramentos do ocorrido com o senador Cid Gomes, na tarde desta quarta-feira (19), em Sobral, no Ceará. Entrei em contato o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e com o governador do Ceará, Camilo Santana, para obter informações e garantir a segurança do parlamentar", escreveu Alcolumbre.

Também em nota, o Ministério da Justiça e Segurança Pública afirmou que "está acompanhando a situação no Ceará e analisando as providências que podem ser tomadas. Já foram enviadas equipes da Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal para Sobral para garantir a segurança do Senador Cid Gomes".

Pouco antes de ser baleado, o senador publicou um vídeo no Twitter criticando a greve dos policiais.

Ciro Gomes publicou a seguinte nota no Twitter: "Meu irmão Cid Gomes foi vítima de dois tiros de arma de fogo por parte de policiais militares amotinados e mascarados em Sobral, nossa cidade. Até aqui as informações médicas são de que as balas não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo. Novos exames estão sendo feitos mas a palavra aos familiares e amigos é de que Cid não corre risco de morte. Espero serenamente, embora cheio de revolta, que as autoridades responsáveis apresentem prontamente os marginais que tentaram este homicídio bárbaro às penas da lei".

Mais informações em breve.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!