Deputados usam caixa de som com latidos de animais na hora de homenagem do PSOL à Marielle na Câmara

No dia que a morte da vereadora Marielle Franco completou um ano, a bancada do PSOL fez homenagens a ela na Câmara.

Uma faixa com a frase “Quem matou Marielle?” foi exposta no Salão Verde, principal rota de acesso ao plenário da Casa. Deputados da legenda e de outros partidos de esquerda, assessores e entusiastas da causa também vestiam camisetas com o mesmo dizer. Algumas dezenas de pessoas fizeram discursos, cobraram que consideram ainda a serem dadas pelas investigações e gritaram palavras de ordem: “Marielle vive”.

A poucos metros, um grupo menor fez um outro protesto, contra a violência animal, usando caixas de som que emitiam latidos. Entre os participantes estava o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), que rasgou a placa com o nome de Marielle.

365 dias

A semana que marca um ano da execução da vereadora e do motorista Anderson Gomes teve revelações nas investigações. Dois suspeitos de participação no crime foram presos na terça (12): o policial militar reformado Ronnie Lessa, suspeito de ter efetuado os tiros, e o ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, que dirigia o carro emparelhado ao de Marielle no momento dos disparos.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro e o Ministério Público informaram que essa é uma primeira fase do caso e que ainda não é possível afirmar, com certeza, se houve mandante para o crime. Na Operação Lume, realizada na ocasião da prisão, houve apreensão, entre outras coisas, de um grande arsenal de armas.

 

Crime foi motivado por atuação de Marielle em favor das minorias, diz Ministério Público

Bolsonaro diz não lembrar de vizinho suspeito de atirar em Marielle, preso ontem no Rio

marielle francoPsolviolência contra a mulher