Bolsonaro nega ter falado com Terra sobre limitar venda de bebidas

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) negou, em uma mensagem no Twitter no final da noite da última sexta (21), ter conversado com o futuro ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB), sobre uma proposta de instituir limite para venda de bebidas alcoólicas.

Osmar disse, em entrevista ao jornal O Globo, que a restrição do horário de venda de álcool em bares e restaurantes, por exemplo, poderia compor "uma política de redução da violência" a ser feita em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que será comandado pelo ex-juiz federal Sérgio Moro.

No Twitter, Bolsonaro sublinhou o trecho da matéria que afirma que o assunto já foi discutido entre ele e Terra, e escreveu "#Fakenews", sem dar mais detalhes. O presidente eleito não esclareceu se apoiaria ou não a medida.

Na entrevista a O Globo, a ideia de restringir o horário de venda se justifica porque a maior parte dos acidentes e mortes provocados por pessoas alcoolizadas ocorre de madrugada, após a meia-noite. A proposta, segundo uma reportagem do jornal Folha de S. Paulo, não foi bem recebida por representantes de bares e da indústria de bebidas.

Após a repercussão, o próprio Osmar Terra se manifestou, também pelo Twitter: "Não há qualquer decisão do futuro governo do Presidente Bolsonaro sobre limitar venda de bebida alcoólica. O que coloquei dentro do contexto de propostas para reduzir pobreza e violência é limitar horário de venda noturna, nos lugares mais violentos. E só", publicou.

Bolsonaro promete enxugar comunicação para além do corte no orçamento

Em vídeo, Bolsonaro fala em "revogar" pacto de migração da ONU e cita França "insuportável"

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!