Bolsonaro anuncia retirada de militares do Ceará

* O presidente voltou atrás e prorrogou o ato de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), veja atualização aqui. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que enviou para o Ceará, para ajudar a conter o motim dos policiais militares, não será renovada e disse esperar que o governador do estado, Camilo Santana (PT), resolva a situação com os militares.

> Bolsonaro ataca Congresso e diz que vídeo que divulgou é de 2015

"GLO do Ceará vence amanhã (28) e a gente espera que o governador resolva esse problema da polícia militar do Ceará e bote um ponto final  nessa questão, porque GLO não é pra ficar eternamente atendendo um ou mais governadores, é para questão emergencial", afirmou.


Ao governador, Bolsonaro foi direto e disse: "Resolva esse problema que é do seu estado, negocie e chegue a bom termo nessa questão. Porque a GLO minha, não é ad eternum, com outros presidentes passados era, comigo não é. Espero que o governador, que tem responsabilidade, que pelo que estou sabendo está buscando a solução, mas que se empenhe ao máximo possível para buscar uma solução para esse caso, de modo que os policiais possam voltar a cumprir o seu trabalho normalmente no estado do Ceará", declarou.

Durante o motim dos policiais militares cearenses, já morreram 170 pessoas. Os números contabilizam apenas as mortes que aconteceram entre os dias 19 e 24 de fevereiro, depois disso, a Secretaria de Segurança Pública do Ceará disse que não fará mais divulgações diárias, apenas mensais.

> Santos Cruz diz que uso de militares em manifestação pró-governo é grotesco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!