YouTube exclui vídeo de Bolsonaro por propagar fake news

O YouTube deletou um vídeo do canal de Jair Bolsonaro por infração às regras da plataforma. O vídeo excluído foi uma de suas lives, com data de 14 de janeiro de 2020.

No vídeo, acompanhado do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, o presidente fala sobre "tratamento precoce", já descartado pelas autoridades de saúde como alternativa de tratamento à covid e questiona a efetividade do uso de máscaras.

Em nota, a plataforma de vídeos afirma que o vídeo foi removido por violar a Política de Informação Incorreta sobre a pandemia. "Como parte do trabalho contínuo para apoiar a saúde e o bem-estar da comunidade de usuários,  as políticas de desinformação médica foram expandidas", diz.

A plataforma reitera ainda que a atualização das suas políticas está alinhada às orientações atuais das autoridades de saúde globais sobre a eficácia dessas substâncias. "Desde o início da pandemia, o YouTube já removeu mais de 850 mil vídeos por violarem as políticas de conteúdo da plataforma sobre o coronavírus."

"A menos que haja contexto educacional, documental, científico ou artístico suficiente, a plataforma passará a remover vídeos que recomendam o uso de Ivermectina ou Hidroxicloroquina para o tratamento ou prevenção da covid-19, fora dos ensaios clínicos, ou que afirmam que essas substâncias são eficazes e seguras no tratamento ou prevenção da doença", defende o YouTube.

O Congresso em Foco procurou o Planalto, que disse que não iria se manifestar sobre o tema.

Thaís Rodrigues é repórter do Programa de Diversidade nas Redações realizado pela Énois - Laboratório de Jornalismo, com o apoio do Google News Initiative

Continuar lendo