Estados Unidos aprovam uso de vacina da Jonhson&Johnson

A Food and Drug Administration (FDA), agência de regulamentação dos Estados Unidos, autorizou neste sábado o uso da vacina contra covid-19 da Janssen, empresa ligada ao grupo Johnson&Johnson. A autorização abre a possibilidade que a vacina seja aplicada no país tão breve quanto a próxima semana.

O imunizante da Janssen, que se utiliza de um vírus de resfriado comum para conter a doença, se destaca das outras vacinas já desenvolvidas até o momento por necessitar de apenas uma dose para fazer efeito, e poder ser guardada em uma geladeira comum. A empresa apontou que, em testes globais, a eficácia global descoberta é de 66%, podendo chegar a 85% em casos graves.

A vacina também foi testada na América Latina, onde se chegou aos mesmos 66% de eficácia global. O maior mercado a ser atendido pela vacina da Janssen deve ser os Estados Unidos, que devem receber as quatro milhões de doses já disponíveis. Os EUA já autorizaram o uso das vacinas da Pfizer e da Moderna, e seguem em um ritmo próximo de duas milhões de vacinações por dia.

O sucesso da nova vacina também é vista de perto pelo Ministério da Saúde – que, assim como no caso da vacina da Pfizer, já manifestou interesse, porém ainda não divulgou se e quanto comprará do tal imunizante. Na última quinta-feira (25), o ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, afirmou que a decisão de compra já não está mais sob controle da pasta, e passou ao Congresso Nacional e ao Palácio do Planalto.


> Ministério da Saúde fecha compra de 20 milhões de doses de vacina Covaxin
> Governo do DF amplia lista de locais que poderão abrir durante lockdown

Continuar lendo