Secretário de Mandetta que continuou no Ministério da Saúde deixa o cargo

O secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, anunciou que deixa o cargo nesta segunda-feira (25). Ele ocupa o posto desde a gestão de Luiz Henrique Mandetta à frente da pasta e foi um dos responsáveis por desenhar as primeiras respostas do Brasil à pandemia. Neste domingo (24), Wanderson encaminhou um texto à equipe do Ministério informando sua saída.

"Amanhã, dia 25/05, deixarei definitivamente a função de Secretário de Vigilância em Saúde.

A decisão foi tomada em 15/04, antes mesmo da saída do Ministro Mandetta a quem sou eternamente grato. No entanto, a pedido dele permaneci até a chegada de um novo Ministro. Com a chegada do Ministro Nelson Teich, em conversa no dia 20/04, coloquei o cargo a disposição. Ele me pediu para ficar mais algumas semanas. Assim procedemos e combinamos que após minhas férias em 20/05, iríamos acertar a data da publicação da exoneração.

Na quarta-feira a tarde, dia 20/05, acertei com o Ministro Pazuello para sair da função na próxima segunda-feira, dia 25 de maio de 2020. Ele solicitou-me para continuar ajudando na resposta, o que farei com o maior prazer.

Somos da mesma instituição, Ministério da Defesa e nós conhecemos desde janeiro de 2019 onde conheci seu trabalho a frente da operação acolhida."

Defensor do isolamento social como forma de combate à covid-19, Wandersson já havia colocado o cargo à disposição em abril, quando o Planalto deixou claro que defendia medidas contrárias às recomendadas pelas autoridades de saúde.

Wanderson é doutor em epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Possui mais de 20 anos de experiência profissional, sendo 15 anos no Ministério da Saúde, onde coordenou a resposta nacional a pandemia de influenza e síndrome da zika congênita.

> Bolsonaro repreendeu diretor da PRF por nota de pesar a agente morto por covid-19

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!