Prefeito de Manaus testa positivo para covid e está na UTI; quadro é estável

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), testou positivo para covid-19 nesta segunda-feira (30). Ele está em isolamento no hospital Adventista de Manaus com quadro estável. "Lúcido e orientado, recebendo medicações via oral conforme protocolo institucional", confirma a prefeitura.

Na semana passada,um estudo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), mostrou que a cidade pode ter uma segunda onda de contaminações por covid-19 ainda mais intensa do que a vivida em abril. O pico dessa segunda fase da doença, apontaram os cientistas, seria entre julho e agosto.

No início de junho, por uma determinação do governo do estado, a cidade reabriu o comércio. Ainda na semana passada, Virgílio afirmou ao Congresso em Foco que uma retomada exigia "muito planejamento e cautela em meio a uma população que se mantém exposta, fora de casa”.

Para o prefeito, foram feitos poucos testes em Manaus para que se pudesse ter um quadro real da situação, culminando com o que classificou de “reabertura precipitada”. De acordo com estimativa da equipe da Ufam, a cidade pode chegar a 200 mil casos simultâneos da doença, caso o comércio permaneça aberto.

Virgílio também disse que "da parte da prefeitura de Manaus, diversas medidas foram adotadas para o isolamento social da população e a proteção de quem não pode ficar em casa, [...] incluindo a obrigatoriedade do uso de máscaras em estabelecimentos comerciais e no transporte público e privado. A suspensão de licenças para eventos públicos de qualquer natureza, o fechamento de parques urbanos e unidades de conservação municipais, além de equipamentos de uso coletivo, como academias ao ar livre e parquinhos infantis, além do decreto de regime de teletrabalho para servidores municipais".

Apesar de ser contra as medidas de reabertura do comércio impostas pelo governador Wilson Lima (PSC), o prefeito não editou um decreto municipal contrariando o plano estadual.

Wilson Lima sob investigação

Investigadores do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal cumpriram na manhã desta terça-feira (30) mandados de prisão temporária contra oito pessoas, além de buscas e apreensões em 14 endereços de pessoas ligadas ao governador Wilson Lima. As medidas incluem o bloqueio de bens no valor R$ 2,976 milhões, de 13 pessoas físicas e jurídicas. Lima é alvo de buscas e bloqueio de bens na Operação Sangria. A investigação apura a atuação de uma organização criminosa instalada no governo do Amazonas com o objetivo de desviar recursos públicos destinados a atender as necessidades da pandemia de covid-19.

"Com a participação direta do governador, foram identificadas compras superfaturadas de respiradores, direcionamento na contratação de empresa, lavagem de dinheiro e montagem de processos para encobrir os crimes praticados. No requerimento das cautelares, a subprocuradora-geral da República Lindora Araújo sustenta que as investigações permitiram, até o momento, 'evidenciar que se está diante da atuação de uma verdadeira organização criminosa que, instalada nas estruturas estatais do governo do estado do Amazonas, serve-se da situação de calamidade provocada pela pandemia de covid-19 para obter ganhos financeiros ilícitos, em prejuízo do erário e do atendimento adequado à saúde da população'", diz o MPF em nota.

O Amazonas é o estado brasileiro que mais tem mortos pela covid-19, na comparação por 100 mil habitantes. Além das populações urbanas, povos indígenas no estado vêm sofrendo com a doença e enfrentam divergência de números entre as secretarias estaduais e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

Uma das capitais mais atingidas pelo coronavírus, com 27.132 casos de covid-19, conforme informações atualizadas nesta segunda-feira (29) pelo Painel, Manaus fechou na semana passada o hospital de campanha montado em parceria com a iniciativa privada.

Confira a íntegra da nota da Prefeitura:

A Prefeitura de Manaus informa que o prefeito Arthur Virgílio Neto testou positivo para a Covid-19, durante exames de rotina realizados na segunda-feira, 29/6, no hospital Adventista de Manaus. O prefeito teve o diagnóstico por meio de tomografia e segue em isolamento na unidade com quadro estável, inclusive despachando normalmente.

Segundo Boletim Médico, divulgado nesta terça-feira, 30, o prefeito de Manaus se encontra “hemodinamicamente estável, sem necessidade de uso de drogas vasoativas, mantendo boa saturação de oxigênio em ar ambiente, realizando VNI com boa resposta. Lúcido e orientado, recebendo medicações por via oral conforme protocolo institucional”, afirma o documento. VNI é o método de ventilação não invasiva e, seguindo recomendação da equipe médica, o prefeito seguirá em observação nas próximas 24h.

A Prefeitura de Manaus informa que já cumpre todos os protocolos dos órgãos de saúde com monitoramento do secretariado e demais autoridades que tiveram contato direto com o prefeito de Manaus na inauguração do complexo viário Ministro Roberto Campos, na avenida Constantino Nery, realizada na tarde de segunda-feira. Mesmo havendo o distanciamento do prefeito com o público, a população que compareceu ao local, caso apresente algum sintoma, poderá buscar atendimento preferencial e fazer a testagem para a doença na recém-inaugurada Clínica da Família Carmen Nicolau, localizada no bairro Lago Azul, zona Norte, bem atrás do Centro Integrado Municipal de Educação (Cime) onde foi montado o hospital de campanha municipal.

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!