“Não é gripezinha”, diz aliado de Bolsonaro infectado pela covid-19

Aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o deputado General Girão (PSL-RN) contraiu coronavírus e passou o final de semana internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital Santa Lúcia, em Brasília. Para ele, a covid-19 não pode ser vista como uma "gripezinha", como classificou o presidente.

O deputado evita criticar o presidente e diz compreender que ele quis apenas dar um exemplo ao citar que, por ter sido atleta, teria maior resistência ao vírus. Para ele, Bolsonaro não quis generalizar.

"Eu também era atleta e contraí problemas cardíacos justamente pelo tanto de esforço que fiz no decorrer da vida. Agora peguei o vírus", disse o deputado, que se submeteu a uma cirurgia cardíaca ano passado. Girão entende que a doença se manifesta de forma diferente em cada organismo e que tende a se agravar em pessoas com outras doenças. "Nenhum vírus pode ser considerado uma coisinha de nada, ressaltou.

> Em meio à pandemia, Bolsonaro quer crianças de volta à escola

O deputado acusou positivo para o vírus no último dia 19 e passou, desde então, a cumprir isolamento. "Eu tive um sintoma de febre que não passou por três horas, fui para o hospital e fiquei hospitalizado em um quarto de UTI. Eles transformaram algumas áreas para serem utilizadas como áreas de isolamento", contou.

Girão concorda com o chefe do Executivo quanto a não colocar todo o país em quarentena. "Outros vírus atacaram o mundo recentemente e não tiveram esse tratamento que o coronavírus está tendo", afirmou ao comparar com o H1N1. Porém, a H1N1, também conhecida como Influenza A, em 16 meses matou 18.449 pessoas em todo mundo. Já o coronavírus, em apenas três meses já ultrapassou esse número, chegando nesta quarta-feira (25) a 18.589 mortes.

O deputado defendeu que os governos estaduais escutem as críticas de Bolsonaro quanto aos supostos exageros que estariam cometendo. "A gente vai esperar o outro [vírus] chegar sem uma autocrítica, sem fazer uma avaliação?", questiona.

Para o general, o presidente Bolsonaro demonstrou em seu pronunciamento na noite de ontem (24) o desentendimento que está havendo entre os governadores estaduais e o governo federal. "As palavras do presidente ontem manifestaram desentendimento. Existe uma guerra de comunicação declarada contra ele. Agora estamos aqui dentro de casa presos às televisões que induzem a população a achar que ele está errado a toda hora", defendeu.

Estado de saúde

Em recuperação domiciliar, o deputado afirma não estar mais com febre e nem ter sentido, em nenhum momento, falta de ar. No ano passado, General Girão foi submetido a uma cirurgia do coração, o que o leva a tomar remédios controlados.

> Mourão contradiz Bolsonaro: “Posição do governo é de isolamento social”

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!