Mundo tem quase 20 milhões de casos confirmados de covid-19

Dados atualizados da Universidade americana Johns Hopkins mostram que 19.696.961 pessoas foram contaminadas por covid-19 em todo o mundo. O número de mortes no planeta chega a 727.984.

Juntos, Estados Unidos e Brasil registram pouco menos da metade destes óbitos (263.032). Os americanos têm 162.555 mortes. Aqui, ultrapassamos os cem mil mortos neste sábado (8). Ao todo, o país já perdeu 100.477 pessoas para a doença. 

> Congresso e STF decretam luto oficial pelas 100 mil mortes por covid-19

Em número total de casos, logo atrás dos Estados Unidos (5.017.150) e do Brasil (3.012.412), estão Índia (2.153.010), Rússia (885.718) e África do Sul (553.188).

Apesar de aparecer em sexto lugar entre os países com mais casos confirmados pela doença, o México desponta em terceiro na quantidade total de óbitos. São 52.006 mortes pela doença. O Reino Unido, com 312.550 casos, aparece logo atrás do país latino na quantidade de vidas perdidas (46.659).

Vacinas

Na semana passada a Rússia anunciou que vai conceder o registro para a primeira vacina contra a covid-19 no próximo dia 12. De acordo com o Ministério da Saúde do país, a população terá acesso à vacinação em outubro deste ano. Embora haja otimismo da população com os anúncios, a falta de transparência e divulgação de dados sobre as pesquisas e testes com a vacina tem gerado questionamentos por parte da comunidade científica internacional.

Já o Brasil anunciou no fim da semana passada o acordo de cooperação entre a Fiocruz, a Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca para produção de uma vacina, que deve chegar ao país este ano para mais uma fase de testes. O Ministério da Saúde estima que a população passe a ser vacinada a partir de janeiro de 2021. A vacina está na fase três dos testes, onde são feitos ensaios clínicos, ou seja, estudos do novo medicamento em seres humanos.

A vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech, foi defendida na última semana pelo diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. "A China é um país que tem um investimento muito pujante hoje em ciência. É uma ciência que se ombreia com qualquer outro país do mundo e muitas vezes em termos de volume até superior", disse me reunião da externa da Câmara dos Deputados que acompanha as ações de enfrentamento à pandemia. O Butantan comanda a fase três dos testes.

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!