Marcos Pontes reage à Butanvac, e diz que vacina federal entrará em testes

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, anunciou nesta sexta-feira (26) que ao menos uma proposta de vacina apoiada pelo governo federal teve o protocolo de testes clínicos apresentado nesta quinta-feira (25) na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O anúncio vem horas depois de o governo de São Paulo anunciar a Butanvac, a primeira vacina feita exclusivamente no Brasil.

Segundo o ministro, o imunizante foi desenvolvido com a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP) e ainda não tem nome definido. Os testes pré-clínicos, para averiguar a segurança das vacinas, serão realizados com 360 pessoas. Se o imunizante for seguro poderá ir para a fase 3, que analisa a eficácia.

Marcos Pontes disse que a proposta é uma das três em discussão em âmbito federal desde o início da pandemia. O anúncio foi feito no Palácio do Planalto, junto do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O ministro negou que seu anúncio tivesse relação com o evento do rival de Bolsonaro. "Não tem a ver um fato com o outro. Temos trabalhado nisso, e anunciado o trabalho das vacinas nacionais há bastante tempo. Então eu estava com a expectativa de poder anunciar o mais rápido possível", disse.

A vacina apresentada pelo governo de São Paulo será feita pelo Instituto Butantan, que é responsável pela Coronavac, produzida em parceria com o laboratório chinês Sinovac e que é a mais utilizada para imunização no país.

A nova vacina deve utilizar um vírus inativado produzido em ovos embrionados, mais baratos e com capacidade de produção industrial pelo Butantan.

> Câmara registra 112 casos de covid-19 em apenas um mês. 21 servidores já morreram
> Onyx fala “idiotice” ao atribuir covid a pulga e formiga, diz fundador da Anvisa

Continuar lendo