Jornalista Ribamar Oliveira morre aos 67 de Covid, em Brasília

Após lutar durante 50 dias contra a covid-19, o jornalista Ribamar Oliveira  faleceu nesta terça-feira (1) em Brasília. Ribamar se conceituou como um dos principais nomes do jornalismo político e econômico brasileiro, tendo acumulado passagem por veículos de representação nacional. Ele tinha 67 anos e trabalhava no jornal Valor Econômico, onde era colunista e repórter especial.

A notícia foi divulgada por familiares através do perfil dele no Facebook.

Em respeito aos protocolos de segurança devido à pandemia, a família decidiu não fazer um velório aberto. O seu corpo será cremado,"como era a vontade dele", escreveram os familiares na rede.

Por nota, o Ministério da Economia  manifestou pesar com o falecimento do jornalista. "O colunista do jornal Valor Econômico era conhecido pelo alto nível técnico, seriedade na apuração, ética e bom humor. A trajetória premiada e o reconhecimento dos colegas e dos técnicos da equipe econômica refletem a carreira de sucesso dedicada à cobertura econômica", diz a nota.

Amigos jornalistas e parlamentares também prestaram condolências à família. A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), publicou no Twitter que a morte de Oliveira foi uma grande perda para o jornalismo.

José Serra, senador pelo PSDB de São Paulo, disse que o jornalista era brilhante e que "o jornalismo fica um pouco menor" com a perda.

Ao longo da carreira, Ribamar Oliveira conquistou importantes prêmios, incluindo um Esso de Jornalismo pela reportagem "O Escândalo dos precatórios". Além do Valor, ele trabalhou nos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo, além das revistas Veja e IstoÉ.

> A investidores, Guedes diz que economia vai crescer além do esperado

> Na CPI da Covid, Nise Yamaguchi tenta se descolar de Bolsonaro

Thaís Rodrigues é repórter do Programa de Diversidade nas Redações realizado pela Énois - Laboratório de Jornalismo, com o apoio do Google News Initiative.

Continuar lendo