Governo não tem data para levar testes de covid-19 aos povos indígenas

O governo federal segue sem ter uma previsão de quando poderá atender aos povos indígenas na questão do coronavírus. Questionado em reunião na manhã desta segunda (6), ainda antes da divulgação de que o presidente Bolsonaro pretendia demiti-lo, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse ainda não ter data para encaminhar testes de covid-19 para as comunidades tradicionais.

> Governo não apresentou plano para proteger indígenas do coronavírus

A reunião online aconteceu com 94 pessoas, entre parlamentares, representantes da sociedade civil, organizações indígenas, assessorias parlamentares e lideranças indígenas. Apesar da negativa quanto ao teste, o ministro afirmou que a vacina para a gripe já está sendo providenciada.

A coordenadora da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas, Joenia Wapichana (Rede-RR), reforçou a necessidade de formação e capacitação específica dos agentes indígenas de saúde que já estão dando apoio em suas comunidades indígenas.

Ao fazer considerações sobre a situação indígena diante do coronavírus, Mandetta considerou importante levar informações nas línguas indígenas e fazer uma rede para que os indígenas possam saber o que está acontecendo. “Explicar para eles a importância de não aglomerar”, disse o Ministro, sobre os cuidados que os indígenas devem continuar fazendo em suas aldeias para evitar o contágio.

De acordo com o secretário especial de saúde indígena, Robson Santos da Silva, as solicitações e recomendações da Frente Parlamentar e do MPF foram bem vindas e contribuem para aprimorar ações que a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) já vem realizando. Santos pontuou a instituição de um Comitê Nacional de Crise (em Brasília) e mais 34 Comitês Distritais (âmbito dos DSEI), com participação de indígenas (recomendação do MPF).

Santos falou ainda da dificuldade em produzir materiais informativos que tratem da prevenção ao coronavírus para atender os 305 povos indígenas, são mais de 200 línguas indígenas no País. Quanto aos testes rápidos para diagnosticar o coronavírus, foram 6.300 direcionados aos povos indígenas, número bastante baixo, tendo em vista uma população de mais de 800 mil indígenas no Brasil. Sobre os Equipamentos de Proteção Individual/EPI, já foi encaminhada a 1ª leva de luvas e máscaras aos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs).

> Medo de impeachment levou Bolsonaro a recuar de demissão de Mandetta

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!