Governo diz que não foi notificado pela China sobre covid-19 em frango congelado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) afirmou nesta quinta-feira (13) que ainda não foi notificado oficialmente pelas autoridades chinesas sobre um suposto caso de contaminação por covid-19 em um lote de frango congelado exportado do Brasil para a China.

De acordo com a pasta, ainda na noite de ontem (12), após notícia veiculada na imprensa chinesa, o MAPA consultou a administração-geral de Aduanas da China (GACC) buscando as informações oficiais para esclarecer as circunstâncias da contaminação.

O ministério diz em nota que "reitera a inocuidade dos produtos produzidos nos estabelecimentos sob SIF, visto que obedecem protocolos rígidos para garantir a saúde pública".

Mais cedo, durante a coletiva de imprensa da Organização Mundial da Saúde (OMS), o diretor de emergências da entidade, Michael Ryan, afirmou que o caso de contaminação por covid-19 em um lote de frango exportado do Brasil para a China não deve assustar a população.

"As pessoas já estão suficientemente assustadas com a pandemia". Michael Ryan disse ainda que é importante rastrearmos esses amostras, mas "é importante que as pessoas sigam suas vidas sem medo. Não devemos temer pacotes de alimentos congelados, manuseio desses alimentos, delivery etc. Não quero que as pessoas acreditem que há problemas com a cadeia produtiva da comida. Não há evidências de que o alimento ou essa cadeia transmitam esse vírus".

A líder técnica da OMS, Maria van Kerkhove, disse que a Organização está ciente dos testes feitos pela China e que o país vem testando diversas embalagens que chegam do exterior. "Sabemos que o vírus pode ficar nas embalagens e ser desativado se lavarmos as mãos. Mas não temos evidências de que o vírus esteja na comida ou seja transmitido por ela. Assim como outros vírus, ele pode ser eliminado assim que cozinhamos os alimentos", disse.

Confira nota do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA):

Na manhã de hoje, foi publicada nota no site do município de Shenzhen, província de Guangdong, com informações da autoridade sanitária local sobre uma suposta detecção de ácido nucleico do coronavírus na superfície de uma amostra de asa de frango congelada, oriunda de um lote importado do Brasil.

Segundo a nota, outras amostras do mesmo lote foram coletadas, analisadas e os resultados foram negativos.

O Escritório de Prevenção e Controle de Epidemiologia de Shenzhen informou que todas as pessoas que manusearam ou entraram em contato com o material testaram negativo para a COVID-19.

Ainda na noite de ontem, após notícia veiculada na imprensa chinesa, o MAPA consultou a Administração-Geral de Aduanas da China - GACC buscando as informações oficiais que esclareçam as circunstâncias da suposta contaminação.

Até o momento, o MAPA não foi notificado oficialmente pelas autoridades chinesas sobre a ocorrência.

O MAPA ressalta que, segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há comprovação científica de transmissão do vírus da COVID-19 a partir de alimentos ou embalagens de alimentos congelados.

O MAPA reitera a inocuidade dos produtos produzidos nos estabelecimentos sob SIF, visto que obedecem protocolos rígidos para garantir a saúde pública.

> Brasil tem 1.175 novas mortes por covid-19 em 24h

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!