“E daí? Quer que eu faça o quê?”, diz Bolsonaro sobre mortes por covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, em frente ao Palácio do Alvorada na noite desta terça-feira (28), que é "Messias" mas que não faz milagres. “A gente ultrapassou o número de mortos da China por covid-19”, disse o repórter que foi interrompido por Bolsonaro que questionou: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?".

“As mortes de hoje, a princípio, essas pessoas foram infectadas há duas semanas. É o que eu digo para vocês: o vírus vai atingir 70% da população. Infelizmente é a realidade. Mortes vão [sic] haver. Ninguém nunca negou que haveria mortes”, disse Jair Bolsonaro, que já chamou o covid-19 de "gripizinha" e de "resfriadinho".

O Brasil bateu novo recorde de mortes em um dia em razão da pandemia do novo coronavírus, com 474 óbitos. Segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta terça-feira (28), o total subiu para 5.017, aumento de 10,4%. O acréscimo mais alto até então havia sido na quinta-feira (23), quando foram contabilizados 407. Com isso, o país ultrapassou a China em número de mortes. Até o momento, o país asiático registrou 4.637 mortes, segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças.

O Brasil chegou a 71.886 pessoas infectadas. Nas últimas 24 horas foram adicionadas às estatísticas mais 5.385 casos, aumento de 8,1% em relação a ontem, quando foram registrados 66.501 mil pessoas nessa condição. Foi o segundo maior número em um dia, perdendo apenas para o sábado (25), quando foram acrescidos 5.514 novos casos ao balanço.

* Com informações da Agência Brasil.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!