Doria adia retomada das aulas e rebate Bolsonaro: “fracasso na pandemia”

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (7) que as aulas no estado devem ser retomadas apenas no dia 7 de outubro. A data anunciada hoje adia em quase um mês o que estava previsto pelo Plano SP. A partir de 8 de setembro, no entanto, as escolas estarão abertas para atividades de reforço, mas a presença dos alunos não é obrigatória.

O secretário estadual de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, reforçou que as aulas continuam de forma remota pelas plataformas digitais. "O plano prevê que a volta na primeira etapa é opcional, mesmo em outubro.  Famílias que não desejam que seus filhos voltem presencialmente podem optar pelas aulas remotas. Podemos fazer exceções em tempos de exceção. Também avaliaremos as condições de retorno junto com os especialistas", disse.

Durante a coletiva em que anunciou a nova data de abertura das escolas, Doria reprovou a atitude do desembargador Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, que foi flagrado novamente circulando sem máscara em um espaço público em Santos (SP) essa semana.

“Ele é reincidente pela terceira vez. Sem contar outros flagrantes de excessos e autoritarismo registrados ao longo de sua carreira. É um péssimo exemplo. Tenho certeza que os desembargadores estão envergonhados com este comportamento de carteirada”, disse Doria.

O governador também aproveitou para rebater as críticas de Jair Bolsonaro feitas nesta quinta-feira (6). Ontem, o presidente disse que alguns estados maquiavam números para que inchassem os dados sobre covid-19.

> Governo libera R$ 1,9 bilhão para produção de vacina contra covid-19

“Péssimo exemplo também do Jair Bolsonaro. São Paulo não manuseia números, assim como as demais secretarias de outros estados. O presidente tem uma suposição equivocada, dolosa e nociva. Convido ele a visitar um hospital de campanha, coisa que ele ainda não fez. Na pandemia tenho que afirmar que o presidente está sendo um fracasso”, comentou.

São Paulo é o estado com maior incidência da doença. Até esta quinta-feira (6) o Ministério da Saúde aponta 598.670 casos confirmados no estado e 24.448 óbitos pela doença.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!