Deputado bolsonarista elogia colega petista e critica governo federal

A sessão desta quarta-feira (3) da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) foi marcada por duras críticas ao governo federal. Deputados catarinenses estão revoltados com o aumento de casos de covid-19 no interior do estado e reclamam por não haver por parte do Ministério da Saúde um plano mais enfático sobre vacinas e isolamento social.

Ainda durante o período de breves comunicados o deputado do bloco PL e PSL Mauricio Eskudlark (PL) elogiou a fala da colega petista Luciane Carminati, que criticou a condução do governo a respeito da pandemia.

Confira trecho da fala do deputado no período de breves comunicados:

Durante a sessão, o deputado usou seu tempo para subir o tom contra Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. "Qual país os governantes ficam inertes? Quase duas mil pessoas morrendo por dia é um absurdo. Tem solução para não ter lockdown, para não precisar de UTI? Tem, vacina. Enquanto ficaram negando a ciência, afrontando e estimulando as pessoas a não usar máscara nós vemos o problema crescendo", disse.

Ontem o país bateu recorde de mortes desde o início da pandemia. Foram registrados 1.910 óbitos segundo dados do Ministério da Saúde. Ao todo o Brasil tem agora 259.271 mortos pela doença.

O deputado também criticou as ações do dirigente da pasta. "Pazuello disse que vem sexta-feira a Xanxerê e Chapecó, fazer o que? Dizer que está fazendo o possível, que vai mandar mais meia dúzia de enfermeiros da Força Nacional de Saúde? De um país onde está se enfrentando o caos não tem de onde se tirar forças", apontou.

No fim da semana passada o prefeito de Chapecó, o ex-deputado João Rodrigues (PSD), decretou o fechamento do comércio por mais sete dias. Em um pronunciamento no último dia 27 o político disse estar "enxugando gelo".

Na Alesc, o deputado Mauricio Eskudlark, que disse ter tido covid-19 sem precisar ser hospitalizado e que não adiantou ter feito uso de cloroquina, também criticou a população. "O ministro Pazuello tem que vir a Santa Catarina com milhões de doses de vacina, não adianta mais ficar neste faz de conta. Nunca vi uma população aceitar com tanta passividade essa irresponsabilidade do Ministério da Saúde e do governo federal".

O deputado deu ainda um recado aos comerciantes contrários às medidas restritivas. "Se tiver vacina, não precisa de lockdown. Não adianta protestar contra o lockdown, vamos protestar para cobrar do governo federal que efetivamente disponibilize as vacinas, que resolvem o problema da saúde e da economia".

Ontem, Jair Bolsonaro vetou trecho de medida provisória que permitia a estados e municípios comprar vacinas. "Ele não quer comprar um medicamento que pode salvar vidas e pior, está impedindo que os outros comprem", disse o deputado.

O parlamentar pediu ainda postura mais rígida por parte de deputados federais e senadores e reiterou que Pazuello "não está fazendo o possível". "Popularidade se perde e se ganha, credibilidade não. A popularidade vai mudar continuando a situação do jeito que está", atentou Mauricio.

Dados do Ministério da Saúde desta quinta-feira (4) indicam que Santa Catarina é o quarto estado com maior número de casos de covid-19. Ao todo, são 694.274 diagnósticos positivos para a doença. O número é superior ao total de habitantes da capital, Florianópolis, que segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do ano passado tem 508.826 pessoas. O número de óbitos no estado sulista é de 7.709.

> Governadores fazem apelo a Bolsonaro por compra de mais vacinas

Continuar lendo