CPI deve ter semana agitada com depoimentos de Osmar Terra e Filipe Martins

A CPI da Covid recebe na terça-feira (22) o ex-ministro da Cidadania e deputado federal Osmar Terra (MDB-RS). O parlamentar é apontado como um dos principais articuladores do chamado "gabinete paralelo", ministério extraoficial da Saúde, que aconselhou o presidente da República durante a pandemia.

Segundo o vice-presidente do colegiado, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Osmar chega à CPI como "potencial indiciado" pela comissão, já que é um dos entusiastas e propagandistas de medidas ineficazes contra a doença.

Também estão programadas para essa semana oitivas com o sócio da Precisa Medicamentos Francisco Emerson Maximiano. Membros da CPI buscam informações sobre o ex-assessor de Eduardo Pazuello, o tenente-coronel Alex Lial Marinho, sobre pressão do militar junto ao governo da Índia para a compra da Covaxin, desenvolvida pela Bharat Biotech e parceira da Precisa Medicamentos.

A CPI recebe ainda o assessor internacional da Presidência da República Filipe Martins, que terá que explicar aos senadores sua participação em uma reunião com representantes da farmacêutica Pfizer. O ex-CEO da empresa na América Latina, Carlos Murillo, revelou durante depoimento à CPI, que representantes da Pfizer tiveram uma reunião com o ex-secretário de Comunicação da Presidência da República Fabio Wanjgarten, da qual também participaram o vereador Carlos Bolsonaro e Filipe Martins. Agora, senadores buscam comprovar a existência do gabinete paralelo.

Devem prestar depoimento o epidemiologista, pesquisador e professor da Universidade Federal de Pelotas Pedro Hallal, e da diretora-executiva da Anistia Internacional e representante do Movimento Alerta Jurema Werneck.

Esvaziamento

Na semana passada, houve um esvaziamento da CPI durante os depoimentos dos médicos Ricardo Ariel Zimerman e Francisco Eduardo Cardoso Alves, que defendem tratamentos com medicamentos comprovadamente ineficazes para a doença, como a cloroquina.

Durante a oitiva dos médicos, o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou a primeira lista com investigados pela comissão.

Entre eles estão o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga. O ex-chefe da comunicação do governo, Fábio Wajngarten, as médicas Mayra Pinheiro e Nise Yamaguchi e o ex-chanceler Ernesto Araújo.

Também constam na lista de investigados: o ex-assessor do Ministério da Saúde Elcio Franco, o conselheiro do presidente Arthur Weintraub, o empresário Carlos Wizard, Franciele Fantinato, Helio Neto, Marcellus Campelo, Paulo Marinho Zanotto e Luciano Dias Azevedo.

Agenda da semana:

Terça-feira (22) - Osmar Terra (deputado)

Quarta-feira (23) - Francisco Emerson Maximiano (sócio da Precisa Medicamentos)

Quinta-feira (24) - Filipe Martins (assessor internacional da Presidência da República)

Sexta-feira (25)  - Pedro Hallal (epidemiologista, pesquisador e professor da Universidade Federal de Pelotas), e Jurema Werneck (diretora-executiva da Anistia Internacional e representante do Movimento Alerta).

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo