É mentira que lockdown levou morador de Araraquara a comer gato

Após decretar novo lockdown por aumento no número de casos de covid-19, o prefeito de Araraquara, Edinho Silva, que é do PT, precisou desmentir fake news sobre os efeitos das medidas restritivas.  A rádio Jovem Pan de São Paulo, divulgou um áudio sem autoria confirmada, no qual uma mulher afirmava que a situação na cidade era desesperadora e que pessoas estavam comendo gato para evitar passar fome.

"O prefeito aqui está tão doente e é tão absurda as ações dele, que ele fechou as entradas da cidade para que ninguém entre e ninguém saia da cidade hoje", narra a pessoa, referindo-se ao prefeito da cidade, Edinho Silva. De maneira imprecisa, ela diz que a vizinha teria comido um gato por falta de comida em decorrência do lockdown.

Araraquara foi, em fevereiro deste ano, a primeira cidade brasileira de grande porte a adotar um lockdown, restringindo a circulação de pessoas ao máximo para conter o avanço da pandemia de covid-19. Nesta semana, com um novo aumento no número de internações, novos caos e morte, a prefeitura tomou novamente a decisão de multar quem circula na cidade sem justificativa. Tanto em fevereiro quanto agora, a cidade sofreu com críticas e, eventualmente, fake news.

O prefeito Edinho Silva, reeleito no ano passado para um segundo mandato na cidade, foi às redes sociais criticar a veiculação do áudio apócrifo:

O prefeito reafirmou que as medidas de restrição à circulação tiveram efeitos positivos na cidade. "Após 44 dias, a cidade chegou a não registrar mortes pela doença e foi considerada um bom exemplo na gestão da pandemia, na visão de cientistas e sanitaristas", escreveu.

A posição da rádio

Durante a veiculação do áudio pela rádio, a história não foi confirmada por nenhum dos apresentadores. O diretor da emissora, porém,  Ricardo Mello Araújo, participava do programa e comentou, indicando o prefeito como o principal responsável pelo caos na cidade.

Ricardo Mello é coronel da polícia militar e presidente da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (Ceagesp). Ele ja coordenou ações de envio de alimentos à cidade de Araraquara durante a pandemia em um evento aproveitado politicamente pelo presidente da República Jair Bolsonaro

"Embora lá quem comanda seja do PT, nós fomos para Araraquara porque os permissionários mostravam vídeos com pessoas presas dentro de casa", disse e seguiu: "Isso mexeu com a Ceagesp e quem fez as doações foram os permissionários. Doamos 100 toneladas", acrescentou Melo. A situação por ele definida à época foi de "pós-guerra", apesar de a compra de alimentos durante o primeiro lockdown na cidade não ter sido proibida.

Mello é um dos nomes mais próximos a Bolsonaro no estado e foi colocado pelo presidente da República no comando do entreposto, que é responsável por uma parte significativa do abastecimento de alimentos da principal cidade do país. Ele concedeu a entrevista à Jovem Pan (rádio que também é alinhada ao discurso conservador do presidente da República), mas não indicou se investigou a procedência do áudio.

A prefeitura de Araraquara foi às redes sociais e acusou a rádio de espalhar mentiras:

 


> Preço que o governo pagou por vacina indiana foi 1000% mais alto
> Vereador no Rio, Carlos Bolsonaro foi ao Planalto em 32 dias na pandemia

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

JUNTE-SE A NÓS

 

Continuar lendo