Após 4 mil mortes, Milão reconhece erro da campanha pelo fim da quarentena

O prefeito de Milão, na Itália, reconheceu que errou ao convocar a população para sair às ruas em meio à pandemia de coronavírus. No fim de fevereiro, a prefeitura lançou uma campanha parecida com a que foi apresentada na quinta-feira (26) pelo governo de Jair Bolsonaro. O discurso era de que o vírus não podia parar a economia. Um mês depois, com 4,4 mil mortes registrados na cidade, por covid-19, Giuseppe Sala, o prefeito, pediu desculpas. 

> Caiado: Bolsonaro usa coronavírus para esconder fracasso da economia

"Muitos se referem àquele vídeo que circulava com o título #MilãoNãoPara. Eram 27 de fevereiro, o vídeo estava explodindo nas redes, e todos o divulgaram, inclusive eu. Certo ou errado? Provavelmente errado", reconheceu Giuseppe Sala, em entrevista a uma emissora italiana. "Ninguém ainda havia entendido a virulência do vírus, e aquele era o espírito. Trabalho sete dias por semana para fazer minha parte, e aceito as críticas", afirmou, segundo registro de Luiz Henrique Campos, no Estado de Minas. 

Assista à campanha publicitária da prefeitura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!