Anvisa recusa pedido de uso emergencial de vacina da CanSino

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu, na noite de segunda-feira (28), encerrar o processo que pedia autorização temporária para uso emergencial da vacina Convidencia, contra a covid-19, do laboratório chinês CanSino. A decisão ocorreu após a agência ser notificada pelo laboratório de que as empresas que representavam a farmacêutica no Brasil, Belcher Farmacêutica e Instituto Vital Brazil, não tinham mais autorização para tal.

Uma das representantes brasileiras da CanSino, a Belcher Farmacêutica é alvo da Operação Falso Negativo, investigação conduzida pela Polícia Federal que apura desvios de verbas na compra de testes para detecção de covid-19 pelo governo do Distrito Federal. O Ministério da Saúde já havia assinado uma carta de intenção de compra com a farmacêutica, mas nenhum contrato foi assinado.

"Em face do eventual desalinhamento entre o detentor e o desenvolvedor e fabricante da vacina CanSino, temos que mecanismos intrínsecos e essenciais de supervisão técnica foram comprometidos", informou a diretora relatora do pedido de uso emergencial, Meiruze Freitas, em comunicado da Anvisa. A agência brasileira alega ter recebido, em 17 de junho, o aviso da CanSino Biologics de que as empresas não possuíam mais autorização para representá-los no país.

Alguns dias depois, representantes da Belcher Farmacêutica informaram à agência que o fim da representação tratava-se de um "dissenso comercial" e solicitaram prazo para nova manifestação. Então, no último sábado (27), a Anvisa recebeu novo e-mail da CanSino confirmando que a Belcher não mais representa a empresa no Brasil e solicitando orientações para fins de substituição da empresa representante.

A Anvisa esclareceu, em nota, que não existe a possibilidade de trocar a representante da empresa dentro do mesmo processo de pedido de autorização de uso emergencial, já que este foi iniciado pela então representante brasileira. Porém, a agência ressaltou que uma nova representante poderá fazer uma nova solicitação de uso emergencial do imunizante a qualquer momento.

> Além da Covaxin, CPI da Covid vai investigar compra da vacina chinesa CanSino

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

JUNTE-SE A NÓS

Continuar lendo