Anvisa concede certificação de boas práticas para fábrica da Coronavac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concedeu certificação de boas práticas de fabricação para a Sinovac, fábrica da vacina Coronavac. O documento é um dos pré-requisitos para a continuidade tanto do processo de registro da vacina, quanto de um eventual pedido de autorização de uso emergencial do imunizante que vier a ser apresentado à Anvisa.

Segundo a agência, uma equipe técnica foi à China inspecionar a fábrica que produz a Coronavac e concluiu, neste final de semana, a avaliação técnica das informações complementares enviadas pela Sinovac e pelo Butantan.

O plano de ação foi enviado pelo Instituto para a Anvisa na última quarta-feira (16). Já a avaliação técnica da equipe inspetora e a revisão por par técnico foram realizadas e concluídas pela agência neste domingo (20). A Certificação tem validade de dois anos, segundo resolução publicada nesta segunda-feira (21) no Diário Oficial da União.

Acordos

A Coronavac tem sido alvo de disputa política entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador paulista. O imunizante chegou a ser apelidado pelo presidente de "vacina chinesa do Doria". Por conta disso, segundo pesquisa do Instituto Datafolha, a população passou a sinalizar resistência ao imunizante.

Segundo informações da Folha de S. Paulo o laboratório chinês Sinovac Biotech deu aval para o governo de São Paulo se referir ao imunizante como "vacina do Brasil" ou "vacina do Butantan". O objetivo, segundo o jornal, é facilitar a viabilidade do medicamento.

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), disse pelas redes sociais neste domingo (20) que esteve com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para firmar acordo de cooperação para a aquisição da vacina desenvolvida pelo Butantan.

Além de Paes, Rafael Greca (DEM-PR), prefeito reeleito de Curitiba, também formalizou acordo com o governo paulista para compra da Coronavac. O novo prefeito de Macapá (AP), Dr. Furlan (Cidadania-AP), também disse na semana passada que estava articulando para levar a vacina para a cidade.

Dados do Ministério da Saúde de hoje mostram que o Brasil tem 7.263.619 casos de covid-19. O número de mortos voltou a crescer e agora já são 187.291. Nas últimas 24 horas o país registrou 527 mortes pela doença.

> “Pede pra sair”: coronéis criticam Bolsonaro e cobram saída de Pazuello 

Continuar lendo