Anvisa aprova retomada do estudo da vacina de Oxford

Especialistas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reuniram na tarde desse sábado (12) para avaliar a retomada do estudo clínico da vacina de Oxford. A avaliação realizada considerou informações recebidas da agência reguladora britânica (MHRA), do Comitê Independente de Segurança do estudo clínico e da empresa patrocinadora do estudo, a AstraZeneca.

Após avaliar os dados do evento adverso, sua causalidade e o conjunto de dados de segurança gerados no estudo, a Anvisa concluiu que a relação benefício/risco se mantém favorável e, por isso, o estudo poderá ser retomado.

> Covid-19: Bahia se une ao Paraná e firma acordo para vacina russa

Em nota, a Agência afirmou que "continuará acompanhando todos os eventos adversos observados durante o estudo e, caso seja identificada qualquer situação grave com voluntários brasileiros, irá tomar as medidas cabíveis para garantir a segurança dos participantes".

A AstraZeneca também emitiu um comunicado afirmando que os ensaios clínicos da vacina serão reiniciados no Brasil na próxima segunda-feira (14) e que o laboratório está comprometido "com a segurança dos participantes do estudo e os mais altos padrões de ética e boas práticas em estudos clínicos. A empresa continuará a trabalhar com as autoridades de saúde em todo o mundo e orientará quando outros testes clínicos poderão ser retomados para fornecer a vacina de forma ampla, equitativa e sem lucro durante esta pandemia.

Testes

Na terça-feira (8) o mundo se surpreendeu com a suspensão dos testes da vacina do laboratório AstraZeneca, realizados em parceria coma Universidade de Oxford. Os testes causaram reação adversa grave em uma das voluntárias no Reino Unido.

A Universidade de Oxford anunciou neste sábado (12) que retomaria os estudos do medicamento. Por meio de nota, a Universidade afirmou que os ensaios clínicos randomizados controlados em andamento da vacina de coronavírus "serão retomados em todos os locais de ensaios clínicos no Reino Unido".

> Universidade de Oxford retoma estudos de vacina contra covid-19 

> AstraZeneca suspende teste de vacina de covid-19 por reação adversa grave

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!