Congresso em Foco

Colunistas

Contrário à MP, Maia conduz a pauta de plenário segundo os interesses do governo Temer

O país exige uma reforma… dos privilégios!

11.12.2017 07:30 5
Atualizado em 10.10.2021 16:36

Reportagem
"Pouco se fala é da necessidade de uma reforma dos privilégios (na verdade, sua extinção), que deveria anteceder a todas as outras reformas. É muito difícil abrir mão de um privilégio"
Publicidade

5 respostas para “O país exige uma reforma… dos privilégios!”

  1. KRUMA MEL disse:

    POVO É INUTIL

  2. KRUMA MEL disse:

    OBRIGAÇÃO DO POVO É PAGAR IMPOSTOS

  3. Nestor Oliveira disse:

    Com este comentário, Paulo José Cunha entra no ‘campo de batalha’, para o qual convocou o Sr Charles Alcântara em seu comentário neste C&F. Cunha tem todas as credenciais, profissionais e morais, para encarar a luta aflita e o bom combate contra os desatinos desse governo-zumbi e seus seguidores “ideológicos”. A propósito, algumas notas parecem pertinentes, sem deslustrar o brilho e a contundência do ‘manifesto’ de Cunha. Primeiro, é preciso ter sempre presente que o patrimonialismo é uma praga que vem de longe, e está distante de infectar somente a má-consciência dos políticos macaqueiros. Por exemplo, no caso da ministra do PSDB que invocou a ‘pobreza’ pra conseguir acumular, é preciso lembrar que a acumulação lícita de cargo com proventos de aposentadoria está fora do teto, graças à omissão do STF sobre a matéria (que tende a manter a licitude do ‘fura-teto’, como sinalizam outros julgados). Outro aspecto que devemos ter em conta, quando apontamos fogo contra parlamentares e juízes vorazes, é que o quadro salarial de servidores do serviço público federal é nefando e caótico, insustentável perante um juízo de decência e equidade, como bem sabe Paulo José Cunha em função de sua cobertura do dia-a-dia da Câmara dos Deputados. ‘Privilégio’, signo manipulado pela situação para enganar os trouxas e os desprovidos de luzes, tem várias faces, e nenhuma delas deve ser tolerada em ambiente dito democrático.

  4. Fantomas disse:

    E espantosa a incapacidade deste país de combater privilégios. Não é só o juiz que tirou 500 mil num mês, é também aquela dentista filha de desembargador que nunca trabalhou e herdou uma pensão perpétua de 50 mil. A classe dos magistrados é a desgraça deste país. STF: suprema troca de favores

  5. Walldemar Sobrinho disse:

    A relação trabalhista no Brasil não é sustentável, essa é a verdade, senão vejamos, um funcionário com um salário de R$ 3.000 recebe líquido uns R$ 2.600, mas custa (com vale transporte, vale refeição, etc), cerca de R$ 5.300 para a empresa. A diferença de valores (fora as outras formas de assalto como IPVA, ISS, ICMS, IPTU, CIDE, etc) vai pra bancar o custo das castas superiores do funcionalismo público. Me expliquem como um desembargador consegue ganhar R$ 200 mil por mês. Isso é salário de altíssimo executivo de multinacional com excelente formação (e uma tonelada de responsabilidades por resultados) e não de um burocrata ! Resumindo, por vias democráticas é impossível mudar o quadro. Como dito pelo colunista, quem tem a caneta não vai usá-la contra si e seus iguais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Mais Colunistas

Ver todos

Recentes

A volta da política?

25.01.2022 12:23

Ver todos
Publicidade

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via