Congresso em Foco

Marina, a melhor opção para o Brasil dos concursos públicos

13.09.2014 08:30 37
Atualizado em 14.09.2014 20:30

Reportagem Em
Publicidade

37 respostas para “Marina, a melhor opção para o Brasil dos concursos públicos”

  1. Marcelo Martins disse:

    Melhor opção para os concursos públicos???? Como assim???
    Mas se é justamente a pior opção, principalmente devido ao seu programa que defende a terceirização sem limites (incluindo praticamente 100% da empresa).

    Seguem abaixo 2 links que falam um pouco sobre o programa da candidata Marina, para que reflitam e desconfiem de tudo que leem, principalmente os artigos de OPINIÕES.

    http://blogdotarso.com/2014/08/31/programa-de-marina-silva-defende-grave-ataque-aos-trabalhadores-terceirizacao-precarizante-ampla-e-irrestrita/

    http://cut.org.br/noticias/juristas-atacam-pontos-do-programa-de-governo-de-marina-que-defende-terceirizaca-e6f3/

    Acredito eu que o Professor Wilson Granjeiro esteve desinformado quanto a esse programa no momento em que escreveu o seu artigo, uma vez que seria muita cara de pau publicar uma informação totalmente errônea, comprometendo o seu nome e imagem, ainda mais visto a sua responsabilidade como formador de opinião, e visto a trágica consequência de opiniões e votos equivocados que isso pode trazer.

  2. Gafanhoto disse:

    Ouvi dizer que a Marina é a favor da lei 4330/04 da terceirização, se for verdade essa informação, votar nela será péssimo para quem pleiteia ser servidor/empregado público.

  3. Alexandre Anello disse:

    Perdeu toda e qualquer possibilidade de, um dia, ter meu respeito, ao utilizar este espaço para fazer seu jabá. Deprimente!

  4. Welington Miranda França disse:

    A MARINA NÃO É “VIRA CASACA” e a MARINA não é incoerente. Por que o LULA acha que qualquer pessoa (política, filiada, cidadã…),
    eleita ou não, uma ou várias vezes, deve ser refém de um partido a vida toda? Alguém deveria “relembrar” ao LULA
    que a força maior de um partido está na sua ideologia. Está nos seus valores
    morais, éticos e humanitários. Está nos sonhos de busca por uma sociedade justa
    e fraterna. Esse deveria ser o entendimento do LULA sobre o fundamento
    existencial de um partido e sobre a verdadeira fonte da fortaleza de um
    partido. Quando a MARINA optou por se filiar ao PT, ela enxergou o sonho de um
    mundo melhor. A MARINA tinha certeza de que o PT jamais aceitaria o estilo “ROUBA
    MAS FAZ”, o qual sempre “vampirou” as chances de um Brasil melhor. A MARINA sempre
    acreditou que o PT jamais aceitaria as históricas práticas de utilização de
    Partidos Políticos como empresas especializadas em fazer “lobbys obscuros”, ou especializadas em praticar
    trafico de influência, ou especializadas em “influenciar” e fomentar governos
    municipais, estaduais e da União, a “burlar” licitações para furtarem dinheiro
    público. São 5700 prefeituras municipais, 27 governos estaduais, e a União. A
    MARINA acreditava que o PT não iria praticar as históricas e consolidadas relações
    “promíscuas” do passado, existentes entre o setor público e o setor privado. A
    MARINA nunca imaginou, também, que o PT iria “esconder” debaixo do tapete o
    lado obscuro do agronegócio, e, SOMENTE, mostrar, e colocar um zoom, nas
    conquistas positivas desse modelo tecnológico produtivo. A MARINA não
    imaginaria que o PT iria fazer vista grossa aos milhões de toneladas de venenos/agrotóxicos (fungicidas, bactericidas,
    nematicidas, herbicidas, inseticidas, venenos sistêmicos para combater vírus),
    e aos milhões de toneladas de sais sintéticos solúveis
    concentrados (“fertilizantes” químicos), aplicados e “jogados”, TODOS OS
    ANOS, nas microbacias hidrográficas. A MARINA não poderia saber que o PT iria
    fazer vista grossa, também, à aniquilação da fauna e da flora, com a expansão
    da fronteira agrícola baseada no modelo do agronegócio. A MARINA não poderia
    saber que, na eventualidade de algum integrante do PT se envolver com escândalos
    de corrupção, comprovados com robustas provas, o PT, ao invés de investigar e
    punir, fosse proteger, blindar, desmentir (mesmo no contexto de provas robustas
    e, até, de julgamento em última instância) e até querer transformar a acusado
    e/ou sentenciado, em
    vítima. A MARINA sempre achou que os integrantes do PT
    soubessem viver, satisfatoriamente, com salários próximos a 30 mil reais (equivalente
    a 41 salários mínimos). A MARINA não poderia imaginar que integrantes do
    governo, políticos, e membros do Partido/PT, achariam que, ganhar em apenas 01
    mês, o que milhões de famílias levariam 3 anos e meio para ganhar, fosse
    insuficiente para se manter. A MARINA não poderia prever que integrantes do PT
    tomariam a decisão de “furtar” dinheiro público mesmo ganhando 41 salários mínimos
    por mês.

    O LULA e o
    PT têm que enxergar que o PT que a MARINA se filiou não é o mesmo PT de agora. Portanto,
    podemos todos concluir que a MARINA não trocou de partido, ou “usou” o partido
    para “galgar” o poder, como o LULA tenta confundir os eleitores e o Brasil. O
    LULA não vê, ou finge que não vê, que o PT que a MARINA se filiou, há anos atrás,
    NÃO EXISTE MAIS.

    É o mesmo
    que obrigar um filiado ativista do meio ambiente a ter que permanecer filiado a
    um partido de ideologia ecologista o qual, após chegar ao poder, passou a promover,
    participar, ou aceitar a poluição dos rios, dos mares, a destruição da fauna e
    da flora, e a poluição de atmosfera. Nesse caso o filiado perceberá que o
    Partido que ele se filiou já não é o mesmo. “Tomou outros rumos”, trilhou
    outros propósitos, infringiu o estatuto, se desfigurou ideologicamente.

    A MARINA não
    é “vira casaca” como querem dizer por aí. E não é incoerente como querem dizer
    por aí. Incoerente seria ela, com sua ideologia de acreditar num país sem
    corrupção, se manter no PT, mesmo após perceber a desfiguração da bandeira
    ideológica da qual era seguidora e da qual comungava com o sonho de governos éticos
    e socialmente justos.
    A MARINA É A OPÇÃO DA 3ª VIA….nem “os de antes de 2002” nem os de agora….

    Welingtonmi@gmail.com

    • Enio O. Duval disse:

      De novo??? Que saco!!!

      • Welington Miranda França disse:

        Fica assim não….tadinho……contra-argumente, entre nesse debate saudável, vai fazer bem pra vc, aproveite esse espaço de debate terapêutico, e de cidadania…..exerça sua cidadania….exponha seus argumentos, tá?….talvez vc fique mais feliz e menos chateado, né?….

        • Enio O. Duval disse:

          Aí comentários extensos ninguém gosta!!! Você está aprendendo, vai ganhar uma bala.

          • Rogério Maestri disse:

            Enio, é um comentário pronto, se encaixa em qualquer discussão, depois é uma Ctrl C e Ctrl V e está tudo resolvido.
            Isto que se chama militância paga!

          • Welington Miranda França disse:

            Militância paga na Rede Sustentabilidade? Militância paga para eleitores da Marina. Desculpe frustrá-lo e descepcioná-lo, Sr. Rogério Maestri.

          • Welington Miranda França disse:

            DOENÇA ESPIRITUAL E DOENÇA DA ALMA. Sr. Rogério Maestri, Militância paga na Rede Sustentabilidade? Militância paga para eleitores da Marina? Desculpe frustrá-lo e decepcioná-lo, Sr. Rogério Maestri. Mas, eleitores da MARINA não conhecem esse “toma lá dá cá” de galera militante que perdeu os princípios e valores morais e éticos, e vendem votos aos candidatos que pagam mais, ou compram votos de eleitores que se vendem para quem paga mais. E/ou, em muitos casos, se aproveitam da imensa parcela de brasileiros desempregados, para seduzí-los com dinheiro. O comentário não é pronto, sinto muito afirmar que vc está muito errado. O eleitores da MARINA se manifestam em rede exatamente para não ser necessário estrar nesse esquema de “vampirar” o candidato, pedindo favores, cargos, dinheiro, etc… Sr. Rogério, com a MARINA, está começando uma nova era na política. Elegeremos a MARINA, por uma questão de princípios na órbita do conceito amplo do Amor Infinito (Deus). E isso o PT e os outros partidos esqueceram para trás, ou nunca consideraram. E deu no que deu: A CONTINUAÇÃO DAS HISTÓRICAS RELAÇÕES PROMÍSCUAS ENTRE O SETOR PÚBLICO E O SETOR PRIVADO. Contratos e Licitações os quais parecem mais uma “rapinagem” coletiva envolvendo o dinheiro público. Parece mais um bando de urubu encima da carniça. E o que é pior, essa gente ganha, em média, 30 mil reais por mês (41 salários mínimos) e, ainda assim, FURTAM o dinheiro público. COMO EXPLICAR ISSO? Na minha opinião isso é uma DOENÇA ESPIRITUAL. UMA DOENÇA DA ALMA. Doença essa que aflige todos os partido e quase todos os empresários desse país. A MARINA irá tentar acabar com essa “cultura” covarde. Por isso, Sr. Rogério, não ligamos para esse tipo de “pagamento” como vc quer induzir aqui os leitores.

          • Enio O. Duval disse:

            Caiu de novo??? Putz!!!

          • Welington Miranda França disse:

            Bom dia Sr. KKKKKK!!!!! Continue assim…participativo….vc tá melhorando……um dia vc resolve esse seu problema da texto-fobia…..é só exercitar….participar é uma terapia, viu?…..um dia vc chega lá….

          • Enio O. Duval disse:

            Será que chego???

          • Enio O. Duval disse:

            kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk E você???

          • Welington Miranda França disse:

            Obrigado pela bala.

  5. Hilton Fraboni disse:

    É bom lembrar que quem elitizou as vagas na uniãofoi o PT. Hoje, passar num concurso público requer altos investimentos financeiro, tempo para estudar e diplomas de bacharelado, requisitos que as classe mais baixas não tem. Então cargo público virou objeto de desejos de todos, mas reservado para quem tem dinheiro para investir. Sem contar que a estabilidade não depende da aptidão ou da produtividade e sim de ficar mansinho e escondidinho por dois anos.

  6. Pedro Amarildo Vieira disse:

    OPINIÃO BEM ISENTA

    Professor Granjeiro é candidato a Deputado Federal pelo Distrito Federal pelo Partido Socialista Brasileiro.PSB.

    Nada mais a comentar.

  7. Guilherme disse:

    José Wilson Granjeiro, o que é (neo)liberal?

  8. Ana Cristina disse:

    Falar em eleição e pensar em votos pensando em quem abrirá mais vagas concursadas só por ser um concurseiro é a uma mostra dá hipocrisia do povo brasileiro. Um povo prefere a estabilidade medíocre ao risco promissor, prefere o comodismo a mudança, prefere esperar do outro a fazer.
    Por tanto meus pais tormentarem acabei sendo funcionária pública, passei por 3 Instituições bem diferentes (uma prefeitura, um conselho federal de classe e uma universidade estadual e por fim saia pra conquistar minha vida), tudo a mesma coisa, a corrupção e falta de ética está presente do mais alto ao mais baixo escalão, todos querem tirar seu proveito e ainda se acham melhores que os políticos, criticando e acusando de atos idênticos aos seus, só se diferem pelo tamanho e proporção.
    Sim, verdade seja dita, há muitos lá dentro (principalmente os mais novos) que querem fazer a diferença mas, a tradicional corja de sempre, acaba com essa força rapidinho, só basta ver o número de afastados por depressão e de processo de assédio moral existentes nas Instituições públicas.
    O que tem mudar é exatamente esse povo oportunista que decide seu voto pensando no melhor para o seu próprio umbigo!

    • Welington Miranda França disse:

      Excelente comentário Ana…….é uma realidade difícil, mas é a realidade humana….acredito que a humanidade encontra-se hoje num nível de evolução espiritual muita pequeno….é difícil mesmo o ser humano…..em qualquer contexto, no trabalho, na família, na rua, na política, na religião……a doença da humanidade é espiritual, é da alma….

  9. Natan disse:

    Marina me convence em dois sentidos, o primeiro é a grande coerência que encontro em suas ideias, reformuladas ou não, seguem em um sentido de auto-determinação pessoal em manter compromissos essenciais, e isso é tudo que precisamos. O segundo, mais importante ainda, é ver que sua ascensão despertou nos velhos caciques o sentimento jamais despertado: Medo de perder poder. A Venezuela já mandou carta de desespero, pedindo ao Brasil que não eleja Marina, porque será? O bolivarianismo sabe que não terá vez em um governo de Marina.

    • Rogério Maestri disse:

      Natan, se queres dizer que Marina é a melhor candidata no teu ponto de vista, considero correta a postura, mas alegar que ela é COERENTE é brincadeira.
      Marina tem demostrado uma extrema incoerência, mudando o seu discurso conforme as pressões, isto não é coerência.

      • Wesley Portes disse:

        Mudou a questão dos gays, porque não defende a ideia de privilégios, mas sim, uma sociedade onde os direitos civis são respeitados por igual. Votar em Marina, não é só colocar o PT fora do poder, é também dar um passo pra mudarmos o Brasil, seja em questões éticas, educação, saúde, segurança e entre outras mil.

  10. Erico Siqueira Coutinho de Alm disse:

    A afirmação do professor é uma maneira de puxar votos para sua candidata, Marina e seus apoiadores querem um Estado minimo, redução de gastos públicos, um todos pontos fortes do seu programa é a terceirização.

    • Pedro Amarildo Vieira disse:

      OPINIÃO BEM ISENTA

      Professor Granjeiro é candidato a Deputado Federal pelo Distrito Federal pelo Partido Socialista Brasileiro.PSB.

      Nada mais a comentar.

  11. Roberto Kodama disse:

    Acho que não é uma análise isenta sobre as candidaturas presidenciais. O
    colunista é candidato a cargo eletivo pelo mesmo partido (por enquanto)
    da Marina. Concordo com a análise sobre o Aécio em relação ao
    funcionalismo público que tende a ser o mais desfavorável com adoção de
    medidas que evitam o concurso público, mas discordo da análise sobre a
    Dilma, já que a redução de concursos deu-se por necessidades fiscais. Eu
    acredito que qualquer uma que se eleja terá que tomar medidas fiscais duras que
    afetarão duramente a realização de concursos nos próximos anos.
    Ademais, a interlocução com os sindicatos de servidores públicos
    sobre os rumos da gestão pública não tem merecido a devida atenção de
    todas as campanhas. Ser servidor público poderá não ser um bom negócio
    nos próximos anos…

  12. Gabriela Antunes disse:

    Fato: Mariana realizou 2 concursos no Ministério do Meio Ambiente durante sua gestão (2004 e 2008), em que foram nomeados todos que passaram. Antes, o quadro de pessoal era majoritariamente de consultores contratados por organismos internacionais. Também apoiou a realização dos concursos de 2005 do IBAMA. O resto é blá blá.

    • Thiago Lima disse:

      Fato, os investidores da Marina agora são OUTROS. Cargo eletivo é diferente, não se faz apenas o que se quer, mas também se faz o que se combina com quem financia a sua campanha.

  13. Rodrigo Zeymer disse:

    É sério que ela é a melhor opção?? se for o serviço público brasileiro pode pedir o atestado de óbito desde já. Ex-militante da doutrina de Chico Mendes, foi do PV, fundou o PSOL e agora cansou da luta, entregou os pontos, vendeu sua imagem, comparável a Tiririca que serve de burro de carga para puxar “suplentes” para dentro da roda da política. Meu medo não é o que ela faz, ou o que ela fala, mas a divergencia entre as duas coisas e os patrocinadores de sua campanha. Quem patrocina sempre quer algo em troca, na guerra da política os espólios vão sempre para os financiadores do lado vencedor, e um título vazio fica com o “eleito”. Se vc pensa o extremo oposto disso das duas uma, ou eu estou vivendo em um mundo muito perverso ou vc é muito inocente.

    • Pedro Amarildo Vieira disse:

      OPINIÃO BEM ISENTA

      Professor Granjeiro é candidato a Deputado Federal pelo Distrito Federal pelo Partido Socialista Brasileiro.PSB.

      • Pedro Amarildo Vieira disse:

        Essa cambada, já não sabem mais o que fazer e dizer, para conseguirem votos.Cada vez mais, tenho certeza,de que o PT e o PSB, apenas fingem que são adversários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via