Congresso em Foco

Rosa Weber, presidente do TSE, discursa na cerimônia de diplomação do presidente eleito, Jair Bolsonaro[fotografo]Valter Campanato / Agência Brasil[/fotografo]

Deputados do PSL criticam fala de Rosa Weber sobre direitos humanos em diplomação de Bolsonaro

10.12.2018 19:27 28
Atualizado em 10.11.2020 11:19

Reportagem Em

28 respostas para “Deputados do PSL criticam fala de Rosa Weber sobre direitos humanos em diplomação de Bolsonaro”

  1. celso vasconcellos disse:

    Eles adoram holofotes. Ela quis pegar carona na imensa popularidade do protagonista da festa.

  2. wzfr disse:

    Rosa, ao invés de dar aulinha, você poderia desengavetar os processos de extinção das quadrilhas do PT, PP e tantos outros, vai fazer o seu trabalho……..

  3. Fábio disse:

    Os deputados estão certos. Não é papel de juiz fazer política. Totalmente inadequado.

    • Sebastião L Machado disse:

      Todos fazemos política. Não a partidária, mas política no sentido maiúsculo da palavra, segundo sua etmologia.

      • Fábio disse:

        Sebastião, entendo sua posição, mas não a aprecio muito. Não compartilho da noção de que todos nossos atos sociais são políticos, pois isso parece banalizar a política.
        De todo modo, me pareceu que não era função de uma juíza fazer discurso ou “passar sermão”. Na condição de presidente do TSE, incumbia-lhe apenas diplomar, em respeito à soberania popular. O papel simbólico desempenhado por cada instituição é importante. Foi fora de tom, exagerado e inadequado.

  4. Valdir disse:

    Não vi nenhum problema no discurso da ministra Rosa Weber. Acho que até abrilhantou mais ainda a diplomação dos nossos queridos presidente e vice-presidente eleitos.
    A única dúvida que fica em relação à sua “aulinha” é:
    “SERÁ QUE OS MINISTROS VERGONHOSOS DO STF ABSORVERAM A AULA?”

    • Fábio disse:

      Pois é. Se ela quer falar de respeito à Constituição, deveria de cara acabar com a ideia esdrúxula de legalizar autoritariamente o aborto numa canetada.

  5. Sebastião L Machado disse:

    Ruptura com a velha política significa o que para o presidente eleito? Ruptura com a política dos últimos 30 anos?

    • Fábio disse:

      Exato. Chega de esquerdismo.

      • Sebastião L Machado disse:

        O presidente eleito está compreendido nesses 30 anos! Não consigo enxergar o que fez ele de diferente nesse período. Você consegue? Me parece que qualquer um que encarnasse o papel que desempenhou teria sido eleito.

        • Fábio disse:

          Eu consigo. Ele sempre foi minoria no Congresso. É o primeiro presidente conservador eleito em décadas. Essa real alternância de poder é saudável.

          • Rafael Noris disse:

            Alternância de ruim pra pior não é saudável, não.

          • Valdir disse:

            Isso é pré-julgar algo que sequer ocorreu!

          • Rafael Noris disse:

            Já ocorreu sim, Brasil está deixando de sediar um dos mais importante eventos sobre clima do mundo, já perdeu milhares de médicos nos rincões, perdeu negócios no Oriente Médio, família Bolsonaro tendo esquemas de corrupção expostos, ministros do meio ambiente que defende matar militantes de esquerda, de direitos humanos que acha que debater questões de gênero leva ao suicídio, da saúde que tem parceria com convênios, de relações exteriores que acha que a ONU é comunista, da educação que é olavete, Bolsonaro faz discurso anti-China sendo que ela é a maior parceira comercial do Brasil, entre outros. Ele nem assumiu, mas já destruiu muitas relações importantes para o desenvolvimento do nosso país… e a tendência é piorar, nem o partido dele se entende, é um bando de pilantra tentando conseguir mais poder.

          • Valdir disse:

            Bem, eu não sei o que o levou a decidir não sediar o evento do clima, por isso precisaria saber o que envolve a questão.
            Quanto a questão dos médicos, não foi ele quem acabou. Ele simplesmente disse que deveriam passar pelo revalida, e isso fez com que Cuba retirasse seus “médicos”. Coloco entre aspas porque é mais do que público da infiltração de militares e não médicos no meio. Em minha cidade, eu mesmo tive que pegar autorização para um exame e me surpreendi em deparar com uma cubana do programa, que não era médica e era quem estava no controle administrativo. A verdade é que não era um programa de saúde, mas sim um esquema quadrilheiro para alimentar a ditadura cubana. Me impressiona os que se dizem defensores dos direitos humanos, mas aceitam e até elogiam o trabalho escravo a que os médicos cubanos são submetidos. Sem dizer que praticamente 100% das vagas já estão cobertas.
            Qual o problema da educação ser “olavete”? Educação boa é só a “freirete”, a “marxete”? Os resultados de nossos estudantes em todos os programas que medem seus conhecimentos são ridículos. Fruto da incompetência da esquerda que só pensa em doutrinar as crianças e jovens. E por aí vai.
            Quanto à China, procure saber tudo que eles adquiriram no Brasil durante o governo do PT. Não tenha dúvidas de que em alguns anos, caso continue do jeito que está, será a China exportando para a China, mas não mais pagando, mas sim como era no período colonial português.

          • Rafael Noris disse:

            é legalizada essa coisa que você toma antes de navegar na internet?

          • Valdir disse:

            O que houve? Não tens como contestar e já desvias para o caminho que sempre tomam? Ao invés do diálogo, partem para a agressão?

          • Roberto Cunha disse:

            Análise perfeita, Rafael! Parabéns!!!

          • Fábio disse:

            Está analisando um governo que sequer começou. Ser melhor ou pior é algo que poderemos dizer em 2022.

          • Roberto Cunha disse:

            Depois a gente resolve “isso daí” … kkkkkkkk

          • Fábio disse:

            Eu não vou torcer contra o governo que nem começou, feito uma ave de mau agouro. Se o governo for mal, será péssimo para todos. Não sou masoquista.

  6. Bento Sartori de Camargo disse:

    Ora ministra Weber, se a CF define claramente os direitos das pessoas não há porquê repetir que existem minorias, até porque o Brasil nao necessita delas, muito ao contrário: elas que precisam do país, com estudo, trabalho e moradia digna. Só e simples assim!!!.

  7. Aparecido Silva disse:

    Os admiradores de regimes totalitários não gostaram do recado, bem dado, da Ministra. Estavam pensando que só porque foram eleitos com a maioria dos votos
    VÁLIDOS, que representam 1/3 do eleitorado, poderiam taxar, fazer,
    desfazer, mandar todo mundo calar a boca ou ir para Cuba. O recado da
    Ministra foi bem dado.

    • Sebastião L Machado disse:

      Correto. No seu discurso Bolsonaro afirmou que foi eleito numa eleição justa, que é o presidente eleito de 220 milhões de eleitores. Nesses 220 milhões estão as minorias que precisam ser respeitadas, ouvidas, entendidas, atendidas. A campanha passou e o Brasil de fato é agora, no dia a dia.

  8. Galvão disse:

    Com o filho envolvido em esquema de corrupção na ALERJ, jair fala no combate a: corrupção. No dia dos Direitos Humanos, apropriadamente a ministra do TSE Rosa Webber fala de: Direitos Humanos. Ou não?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Se você chegou até aqui, uma pergunta: qual o único veículo brasileiro voltado exclusivamente para cobertura do Parlamento? Isso mesmo, é o Congresso em Foco. Estamos há 17 anos em Brasília de olho no centro do poder. Nosso jornalismo é único, comprometido e independente. Porque o Congresso em Foco é sempre o primeiro a saber. Precisamos muito do seu apoio para continuarmos firmes nessa missão, entregando a você e a todos um jornalismo de qualidade, comprometido com a sociedade e gratuito. Mantenha o Congresso em Foco na frente.

Seja Membro do Congresso em Foco

Apoie

Newsletter Farol Político

Perspectivas exclusivas e a melhor análise do poder

assine

Receba notícias também via