2021: o ano em que derrotaremos a política da morte

Faltam poucos dias para virarmos a página deste 2020, um ano extremamente difícil e triste, quando nossas energias estiveram totalmente empenhadas no exercício cotidiano de sobreviver — à pandemia, à crise econômica abissal, aos desatinos de um governo cada vez mais sem rumo.

Foi um ano de fincar o pé, resistir à tempestade, não nos deixarmos arrastar pelo vendaval. O início da vacinação contra a covid-19 em alguns países, porém, nos permite acreditar que é possível dar um passo além, em 2021.

É por isso que considero inadiável e inegociável a luta por um programa de imunização de todos os brasileiros. Protegidos da ameaça que já custou a vida de quase 180 mil dos nossos compatriotas, teremos outras condições de compreender e enfrentar os desafios que se apresentam.

Garantir a vacinação de toda a nossa população equivale a dissipar o denso nevoeiro que nos estancou a caminhada neste tenebroso 2020.

>Congresso tenta evitar que gasto com vacina seja limitado pelo teto da saúde 

Repito agora o que já falava no artigo da semana passada: os desafios econômicos serão imensos em 2021. O desemprego, que hoje desespera 14 milhões de trabalhadores, tende a explodir, com o fim do auxílio emergencial. A inflação corrói a magra renda dos mais pobres e o arrocho fiscal desse governo insensível não oferece perspectivas de qualquer retomada consistente da atividade econômica.

Aliás, salvar a vida dos brasileiros e oferecer um mínimo de alento são preocupações que passam longe da agenda de Bolsonaro, empenhado em promover uma patética exposição de trajes presidenciais e em desonerar integralmente a importação de revólveres e pistolas—como se um povo que já não pode comprar carne pudesse se esbaldar com esse tipo de brioches feitos de escárnio.

Mas nada será como antes em 2021. Como membro da Bancada do PT no Senado, tenho orgulho do nosso esforço para garantir que a pandemia e a aposta na morte feita por Bolsonaro sejam vencidas. Depois de aprovarmos uma emenda que assegura a vacinação de toda a população, já apresentamos nova emenda ao Orçamento garantindo o dinheiro necessário para que o Estado brasileiro possa bancar esse desafio.

Além disso, apresentamos o Projeto de Lei 5.454, que assegura a elaboração de um Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, permite a prorrogação das medidas de enfrentamento da emergência de saúde pública, cuja previsão atual é de expirarem em 31 de dezembro, e permite o uso de recursos além do teto de gastos na Saúde.

A maioria do nosso povo aposta na vida e o PT está deste lado. Que em 2021 possamos derrotar definitivamente os parceiros da morte e seguir em frente. Os brasileiros e brasileiras merecem.

> Leia mais textos do autor:

O texto acima expressa a visão de quem o assina, não necessariamente do Congresso em Foco. Se você quer publicar algo sobre o mesmo tema, mas com um diferente ponto de vista, envie sua sugestão de texto para redacao@congressoemfoco.com.br.

Continuar lendo