Os noronhenses não estão pedindo para ser colonizados

Felipe Carreras*

O presidente Jair Bolsonaro falou em uma live na última quinta-feira (5) sobre federalizar Fernando de Noronha. Falar em melhorias para Noronha, nós queremos. Falar em investimentos para a ilha e fazer parcerias com Pernambuco, estamos à disposição. Mas politizar Noronha é um equívoco, sobretudo, no momento que estamos vivendo.

Os noronhenses não estão pedindo para ser colonizados. Eles não estão à espera de um salvador. O arquipélago de Fernando de Noronha foi reanexado ao estado de Pernambuco pela Constituição de 1988. Os laços históricos entre Noronha e Pernambuco estão no DNA de sua gente, orgulhosa de ser pernambucana.

Flávio Bolsonaro vai à Fernando de Noronha no feriado, pago pelo Senado 

O governo do Estado tem investido na ilha com a ampliação da oferta de energia solar, reforma do porto, iluminação em LED, além de uma série de obras nas áreas sociais e de saúde. Muitos desafios ainda precisam ser enfrentados e toda contribuição é muito bem-vinda.

Mas se o presidente realmente estivesse interessado em melhorar a vida dos noronhenses e dos turistas, poderia começar liberando os recursos para as obras de saneamento, anunciadas quatro vezes - a última no fim da semana passada, quando os ministros do Meio Ambiente, do Turismo e da Educação estiveram em Noronha - , e abolindo as taxas federais, que na atual gestão foram reajustadas. Quando o presidente tiver disposição para trabalhar pelo nosso povo e for além de bravatas em lives na internet, poderá contar com nosso apoio.

Felipe Carreras é deputado federal pelo PSB-PE.

O texto acima expressa a visão de quem o assina, não necessariamente do Congresso em Foco. Se você quer publicar algo sobre o mesmo tema, mas com um diferente ponto de vista, envie sua sugestão de texto para redacao@congressoemfoco.com.br.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!