Brasil, meninão bobão cinquentão

*André Giusti

O Brasil é feito um grande meninão de 50 anos com cabeça de 15.

Que faz besteira desde os 15 e não se toca que já está com 50.

Coleciona burradas e delas não armazena qualquer aprendizado.

Recebeu uma Copa do Mundo, sediou uma Olimpíada.

Dez anos atrás (exatamente) alardeava-se os benefícios que os dois eventos trariam ao país.

Era o tal legado, palavra grandiosa, dona de certa aura de mitologia grega (a depender da imaginação) que, embora não tenha esse significado, na 1ª vez que a escutamos chega a sugerir riqueza.

É só olhar para a nojeira que continua a Baía de Guanabara, para a sucata das instalações olímpicas e para os elefantes brancos que são a maioria dos estádios da Copa e a gente entende o meninão de 50 com miolo de 15.

Agora a história se repete (como farsa) nessa ideia de se construir um autódromo no Rio, que, diga-se de passagem, perdeu o seu antigo justamente por causa da Olimpíada.

Dessa vez, o legado terá entrega imediata, não será preciso esperar: 180 mil árvores serão derrubadas em uma área remanescente de mata atlântica, a última em zona plana, segundo especialistas.

Um autódromo para ficar abandonado como estava o de Jacarepaguá? Como está há sei lá quantos anos o de Brasília?

Meninão Brasil, se liga!

Pare de ficar sem pagar a escola dos filhos só para ir a restaurante de luxo e ter carrão importado.

*André Giusti é jornalista e escritor. Trabalha atualmente como assessor parlamentar no Senado. Mantém blog e site em www.andregiusti.com.br  

>O perigo de se estudar o que ensina a pensar

 

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!