A eleição americana e o 5G no Brasil

*Gustavo Fruet

Haveria alguma relação entre o atraso na implantação da quinta geração de telefonia (5G) no Brasil e a disputa eleitoral nos Estados Unidos?

A expansão do 5G depende do leilão das faixas de frequências, que será realizado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A disputa, prevista para acontecer neste ano, foi adiada para 2021 e ainda não tem data definida.

Estarão em jogo as faixas na qual o sinal do 5G vai operar em todo o país, sendo a principal delas a de 3.500 Mhz.

O presidente Jair Bolsonaro nunca escondeu o desejo de manter relações muito próximas de Donald Trump, a quem considera o maior líder político da atualidade.

E, por conta das empresas que lideram a oferta da nova tecnologia no planeta, a corrida do 5G acabou ganhando dimensões geopolíticas.

Mais uma frente de batalha entre Estados Unidos e China.

Huawei, ZTE, Nokia, Samsung e Ericsson são as cinco empresas detentoras do hardware de rádio 5G, responsável pelo desenvolvimento dos sistemas para operadoras.

A teoria de que a eleição americana pode estar atrasando a implantação no Brasil ganha força diante da informação recentemente revelada pela imprensa dos Estados Unidos de que Trump influenciou países parceiros a limitar a participação da multinacional chinesa Huawei no mercado de equipamentos para as futuras linhas da telefonia 5G, sob acusação de espionagem.

O Reino Unido proibiu o uso de equipamentos da Huawei nas suas redes 5G. O Canadá, a Austrália e a Nova Zelândia também seguiram pelo mesmo caminho. A Índia, que enfrenta uma disputa política com a China, também abriu procedimentos para proibir a ZTE e Huawei de participar da sua rede 5G.

O Brasil pode estar neste balaio, com Bolsonaro apenas aguardando eventual reeleição de Trump para seguir adiante com o processo que, nesta hipótese, dificilmente terminaria com a vitória das representantes da China.

Recentemente, em live nas suas redes sociais, o próprio presidente afirmou que a decisão sobre o 5G será dele e de mais ninguém. “Vou deixar bem claro, quem vai decidir o 5G sou eu. Não é terceiro, ninguém dando palpite por aí, não. Eu vou decidir o 5G”.

Além do desejo de Bolsonaro em agradar Trump, a implantação da nova tecnologia também envolve grandes interesses comerciais.

A expectativa é que nosso país poderá receber cerca de R$ 300 bilhões em investimentos nos próximos dez anos a partir do leilão do 5G.

Isso representa um incremento anual de 0,4% no Produto Interno Bruto (PIB).

O Governo Federal já tem todas as informações necessárias para realizar a licitação.

Neste momento, o papel do Congresso é fundamental para evitar direcionamentos, fiscalizando o edital das bandas, para garantir que a escolha se dará por critérios técnicos.

Conveniências políticas e econômicas não podem impedir o Brasil de ter acesso à melhor equação e o cidadão de receber o melhor serviço na ponta.

Outro desafio no processo do 5G é evitar atrasos na implantação – após o leilão que já está atrasado – e garantir a cobertura que acabou não acontecendo no 4G.

É preciso ir além da cobertura de fibra ótica para assegurar internet de qualidade, inclusive nas escolas públicas.

Ainda é fundamental que a Anatel estabeleça contrapartidas para as empresas vencedoras do edital. Haverá pagamento para outorga? Haverá a obrigatoriedade da distribuição de rede para regiões mais carentes?

Para finalizar, vou citar aqui dois livros (A Quarta Revolução Industrial, de Klaus Schwab; e Homo Deus: uma breve história do amanhã, de Yuval Noah Harari) onde os autores manifestam, muito assertivamente, a preocupação com a criação de uma “elite tecnológica” que pode dominar e subjugar os excluídos que não tiveram acesso a tecnologias de ponta.

Vale a reflexão!

*Gustavo Fruet é deputado federal pelo PDT no Paraná.

O texto acima expressa a visão de quem o assina, não necessariamente do Congresso em Foco. Se você quer publicar algo sobre o mesmo tema, mas com um diferente ponto de vista, envie sua sugestão de texto para redacao@congressoemfoco.com.br.

> Leia mais textos do autor.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!